Por vinicius.amparo

Rio - A partir das 19h deste sábado, o Festival de Folia de Reis vai percorrer diversas ruas da cidade de Macaé levando alegria para os moradores e visitantes. O projeto recebe o apoio da Fundação Macaé de Cultura e da Prefeitura Municipal. “O principal objetivo da Folia de Reis em Macaé é o resgate e a devoção. Mas temos vontade de ampliar e voluntariamente ensinar alguns instrumentos aos jovens da comunidade, criando novos talentos para ter um maior número de participantes nos próximos anos”, disse Jean Macaé, organizador do evento.

Visitando algumas casas da cidade, a Folia de Reis evoluiu no passo a passo e foi aos poucos foi tomando forma e obtendo o carinho das pessoas. Fazem parte deste gupo músicos voluntários, profissionais e amadores. “Todo material da folia vem de doações, não há fins lucrativos, e ainda faltam muitos instrumentos, uma vez que usamos o material emprestado de amigos”, conta Jean. No Festival de Folia de Reis da cidade de Cordeiro, o grupo macaense foi aplaudido de pé pelas outras folias e cerca de 1.500 pessoas que prestigiavam o evento. Participaram também do Festival de Monerath, onde foram vistos e aplaudidos por um público de aproximadamente 8 mil pessoas.

O evento vai contar com 10 grupos do estado do Rio de Janeiro. Folia de Reis é uma das festas mais importantes da cultura popular, representando um espaço para o resgate e consolidação da memória. É um festejo de origem portuguesa ligado às comemorações do culto católico do Natal. A sede da Folia de Reis em Macaé fica localizada na Rua Francisco Drumond Sobrinho, n° 24, Alto dos Cajueiros (casa de Martha Maria Chaves Batista), e está aberta a novos músicos que queiram participar. 

História

Trazido para o Brasil ainda nos primórdios da formação da identidade cultural brasileira, a Folia de Reis ainda hoje se mantém viva nas manifestações folclóricas de muitas regiões do país. Os foliões passam de casa em casa, revivendo a caminhada dos magos que partiram do Oriente rumo à cidade de Belém em busca do Menino-Deus. Os foliões repetem esse caminho, referendados pelo texto do evangelista Mateus (Mt 2, 1-2). É uma festa popular, mas sobretudo de cunho religioso.

Você pode gostar