Servidores municipais de Angra dos Reis entram em greve na próxima quarta-feira

Eles reivindicam um reajuste salarial de 10,18%; prefeitura diz que não tem condições de conceder aumentos esse ano

Por marlos.mendes

Rio - Em assembleia realizada no final da tarde de quinta-feira, servidores municipais de Angra dos Reis decidiram entrar em greve sem prazo determinado a partir da próxima quarta-feira, dia 1 de abril. Eles reivindicam um reajuste salarial de 10,18%, mas em reunião no mesmo dia com representantes da prefeitura, não chegaram a nenhuma acordo, pois o governo municipal afirmou que não tem condições de conceder nenhum reajuste este ano.

Em nota, a prefeitura julgou oportuno esclarecer à população, e ao próprio funcionalismo, que tem um canal aberto para o diálogo e que “mantém o respeito e a cordialidade com a categoria, fato demonstrado ao longo desta administração seja no trato direto com os servidores, seja no relacionamento com o sindicato da categoria”. A prefeitura citou, ainda, o cenário de baixo crescimento econômico previsto para o país em 2015 e a diminuição prevista para a receita advinda dos royalties, na tentativa de justificar o não reajuste.

Para a presidente do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Angra dos Reis (SINSPMAR), Ana Maria Bezerra Barbosa, quando a prefeitura diz que está com os canais abertos para o diálogo com o funcionalismo isso quer dizer que os problemas não serão resolvidos. Quanto ao cenário econômico do país, Ana Maria revela que os médicos e os procuradores do município tiveram reajustes de 180% e de 100%, respectivamente. “Enquanto poucos conseguiram reajuste, as demais categorias tiveram apenas 7,5% e mesmo assim ano passado e parcelado em 3 meses. Este ano a prefeitura diz que não tem condições de conceder nada”.

A presidente do sindicato disse que no final do ano passado apresentou à prefeitura um plano de cargos e salários que ficou de ser avaliado para ser incluído no orçamento deste ano. “Eles não fizeram planejamento nenhum pensando no funcionalismo. Em contrapartida, fizeram uma lei que proporcionou aos auditores fiscais do município um reajuste de 100%, assim como aos procuradores”.

Matéria publicada no site do sindicato lembra a prefeitura já havia sido alertada a respeito do direito ao reajuste anual dos servidores públicos, declarando que o governo deveria se planejar para cumprir essa lei constitucional – Artigo 37, Inciso X. “É um discurso muito irresponsável de uma prefeitura que tem um orçamento de R$ 1,082 bilhão. Uma falta de respeito com seus quase sete mil funcionários públicos”, desabafa Ana Maria.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia