Editorial: Protesto de taxistas foi um tiro no pé

O locaute de ontem prejudicou milhões de cariocas e, naturalmente, aumentou a clientela do Uber

Por thiago.antunes

Rio - As causas dos taxistas são legítimas, como diversas vezes defendemos, e devem ser levadas às autoridades. A desumanidade das diárias, por exemplo, deve ser superada, e a pinimba com a Uber está longe de ser encerrada. É justo que a classe questione direitos e deveres dos motoristas do aplicativo, comparando-os às rígidas exigências aos taxistas — nem sempre cumpridas.

A campanha no entanto, volta à estaca zero quando se insiste no injusto e estúpido travamento de ruas como protesto. O locaute de ontem prejudicou milhões de cariocas e, naturalmente, aumentou a clientela do Uber. Pais de família podem ter desperdiçado a chance de um emprego. Outros perderam voos, e milhares ficaram sem atendimento médico.

Reivindicações se fazem com diálogo, pressão e respeito. O caos chamou a atenção para a causa, mas a tentativa de conquistar vantagem na marra, em detrimento da atenção à qualidade do serviço, afastará mais os cariocas da classe, longe de ser a mais adorada.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia