Por thiago.antunes

Rio - Guapimirim vai seguir, a partir de 1º de janeiro, o destino que a natureza lhe reservou: ser a joia da coroa no vale formado pela base do Dedo de Deus, na Serra dos Órgãos. Para isso, o município da Serra Verde Imperial vai trabalhar no incremento da indústria do turismo, promovendo dezenas de atrações, algumas excepcionais. 

A atividade produtiva, ecológica e centrada no desenvolvimento sustentável será estruturada nos 75% do território que estão em área de proteção ambiental da Mata Atlântica.

Os recursos advindos da indústria sem chaminés se somarão aos resultados de uma gestão de transparência, com recursos basicamente destinados à Saúde e à Educação, setores tão necessitados e que expressam bem a realidade da Guapimirim de hoje: as escolas servem apenas arroz com banana na merenda das crianças, e falta de tudo no atendimento de pacientes — medicamentos, material cirúrgico e até mesmo gaze e esparadrapo.

Não há outra saída para o município a não ser a criação de novas opções de desenvolvimento econômico-social.

Guapimirim tem característica peculiar que a torna atração privilegiada para o turismo ecológico: conta com cinco áreas que compõem uma riqueza de biodiversidade em fauna e flora e que abrangem a região de manguezal mais preservada do estado, conhecida como Pantanal Fluminense.

Temos, na área territorial do município, um monumento-símbolo da natureza, o Dedo de Deus, além de espaços preservados da antiga estrada de ferro que nos ligava a Teresópolis, muito procurados por turistas. E nosso elenco de atrativos históricas e naturais é ainda maior.

Está quase chegando a hora das respostas aos guapimirienses que, com o poder soberano do voto, exigiram, nas urnas, muitas mudanças. Nós, que denunciamos desmandos de adversários e quebramos o poder da oligarquia de mais de 20 anos, não vamos decepcionar a população.

O município, infelizmente, ainda vive o descaso de prefeitos omissos que deixaram a saúde, a educação e a gestão administrativa em situação de descalabro. Felizmente, esse mau tempo tem prazo de validade. Não gastaremos, como se fez no último ano, mais de R$ 2 milhões na festa do aniversário da cidade e igual quantia no Carnaval. A população merece respeito.

Zelito Tringuelê é prefeito eleito de Guapimirim

Você pode gostar