Aristóteles Drummond: Saneamento positivo

O Rio tem espaços a serem ocupados, inclusive no agronegócio, que representa menos de 2% do PIB estadual. O governo que finda conseguiu retomar a produção leiteira, embora sem a desejada autossuficiência

Por Aristóteles Drummond Jornalista

Aristóteles Drummond, colunista do DIA -

Rio - O chamado sistema S presta relevantes serviços à formação da mão de obra qualificada no Brasil, um dos pontos fracos de nossa economia. O mais novo membro da família, o Sebrae, estimula e forma quadros do empreendedorismo, nas microempresas, gerando emprego e renda com qualidade nos serviços e nos produtos.

Infelizmente, no caso do Rio de Janeiro, houve erros lamentáveis, inexplicavelmente se arrastando por anos, em prejuízo de uma economia que já estava em crise. O ano que se iniciará vai trazer novos tempos e muita coisa poderá ser feita para ajudar no esforço de recuperação. O novo dirigente Domingos Vargas é de competência reconhecida e vai contar na diretoria com Sergio Malta, de vitoriosa passagem no órgão.

A Federação do Comércio sofreu uma intervenção oportuna e de resgate do papel da entidade junto ao maior contingente de empregados no estado, pois é do comércio, serviços e turismo. E com o apoio da Confederação Nacional do Comércio, que se destaca pela qualidade e austeridade com que vem sendo administrada nas últimas décadas. Sem contestação, sem vaidades, sem gastos mal direcionados.

Agora foi a vez do Sebrae-RJ, que por absurdos estatutários, apesar da condenação da maioria do seu Conselho de Administração, por falta de quórum qualificado, manteve uma gestão comprometida com desmandos, incluindo alguns confirmados por notável empresa internacional de auditoria. Destas coisas difíceis de serem entendidas em nosso país.

Agora, no rumo certo, com uma direção experiente e ilibada, deve retomar seu papel de estimular o empreendedorismo. E já tem em seu ativo de realizações no passado sucessos em projetos como os polos de Friburgo, na lingerie, e de Cabo Frio, no biquíni.

A Firjan tem marcado sua presença na defesa do melhor ambiente de negócios no Estado e no país, ajudando a manter o Rio como centro de importância política e cultural.

O Rio tem espaços a serem ocupados, inclusive no agronegócio, que representa menos de 2% do PIB estadual. O governo que finda conseguiu retomar a produção leiteira, embora sem a desejada autossuficiência. Mas pode ser trabalhado o setor no café, na volta parcial que seja do açúcar, na fruticultura que já dá sinais de vitalidade na região serrana.

Ao lado so sistema S, tem a Associação Comercial do Rio, das mais antigas do Brasil, com voz independente na defesa da livre empresa, dirigida hoje por uma mulher, Ângela Costa , que é um exemplo do empreendedorismo pelo esforço e talento.

São forças da sociedade a ajudar os governos em momento tão delicado da nossa economia.

Aristóteles Drummond é jornalista

Comentários

Últimas de Opinião