Márcia Victório: A influência da música na aprendizagem

A vivência dos elementos sonoros proporcionada pelos atos musicais se constitui numa oportunidade de aprender e inventar para si e para o mundo tramas sonoras cada vez mais harmônicas

Por Márcia Victório*

Márcia Victório
Márcia Victório -
No dia 22 de novembro é comemorado, no Brasil, o Dia da Música. Excelente oportunidade para lembrar que a Música exerce enorme influência sobre as pessoas e atua em diversos setores das nossas vidas. Neste dia especial, gostaríamos de destacar sua influência na educação, por consideramos que a música se constitui em um meio integrador, motivador e facilitador do processo ensino/aprendizagem, por relacionar-se a aspectos emocionais, cognitivos e sociais.

Em relação aos aspectos emocionais, observamos que a vivência dos elementos sonoros proporcionada pelos atos musicais se constitui numa oportunidade de aprender e inventar para si e para o mundo tramas sonoras cada vez mais harmônicas. Ao perceber sonoridades diversas em seu corpo, ao explorar sons ao seu redor, ao manipular sonoridades, o aluno aprendiz descobre em si próprio potencialidades adormecidas.

O tocar e o ouvir um instrumento, bem como a voz que fala, canta, imita, inventa, e movimenta-se no corpo e no ambiente são elementos de aprendizagem, de criação e ação que motivam e ativam a expressão, favorecendo as relações de aprendizagem, sobretudo no que tange à autonomia de aprender.
Com relação aos aspectos cognitivos, estudos no campo das neurociências relatam as áreas cerebrais ativadas por meio das músicas. Hoje já se tem conhecimento de que as atividades musicais relacionadas à produção, execução e audição, se concentram tanto no hemisfério direito do cérebro (percepção musical) quanto no hemisfério esquerdo (consciência do processo sonoro), aumentando as áreas do conhecimento por ativarem tanto a sensibilidade perceptiva, como o uso da racionalidade.
Além disso, por meio da análise de ressonâncias magnéticas, ficamos sabendo que a música afeta a Área de Wernicke, importante para o vocabulário da fala, a Área de Broca relacionada à compreensão gramatical das frases, o tronco cerebral, que ajuda a localizar o som no espaço e o cerebelo, fundamental para a coordenação motora e o ritmo. . Por todas essas relações, podemos dizer que o aprendizado musical proporciona importante desenvolvimento na plasticidade neurológica que pode potencializar a capacidade de aprender e relacionar conhecimentos novos.
Quanto aos aspectos sociais, teóricos da área da educação afirmam que todos nós precisamos do outro para nos reconhecer como nós mesmos, de forma diferenciada e autônoma. Especificamente no ensino da música, sabemos que os significados sociais são construídos a partir do uso da música em determinados contextos, práticas ou fatores associados à experiência musical e, por isso, os diversos contextos sociais devem ser valorizados como elementos de aprendizagem.
Por tudo que observamos, asseguramos que fazer música tem a ver com identidade, com desenvolvimento de potencialidades, com criação e invenção, com o encontro com o outro, com sabores de vida e de amores e, por que não dizer, com a própria Vida!
*Márcia Victório é autora do livro “Um Jardim Musical”.
Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia

Comentários