Maria Clara Pinheiro
Maria Clara PinheiroDivulgação
Por Maria Clara Pinheiro*
Com o passar dos anos, o nosso paladar vai sofrendo alterações. Como tudo no nosso corpo, as papilas gustativas também vão envelhecendo e acabamos perdendo a sensibilidade para muitos sabores. Por isso, é comum que os idosos sintam uma maior necessidade em salgar e adoçar a comida.

Para agradar seus paladares sem abusar do sódio, é muito importante que se recorra ao uso de temperos naturais, que realçam o sabor dos alimentos e ajudam os idosos a não recusarem a comida. Invista em ervas secas e frescas como orégano, manjericão, alecrim, tomilho, salsa, cebolinha, coentro, alho-poró e outros. Evite o uso de caldos concentrados ou em pó, pois eles são ricos em sódio e podem levar ao aumento de peso, aumento da pressão arterial e comprometimentos cardiovasculares.

Cuidado com o excesso de peso nos idosos. Se eles mesmos cozinham, é muito comum que exagerem na gordura, também para melhorarem o sabor dos alimentos. É recomendável que evitem frituras e empanados. Deve-se evitar abusar no consumo de salgadinhos, pães doces, embutidos como salaminho, mortadela e salsicha.

É muito importante que fiquemos atentos ao consumo de proteínas pelas pessoas da terceira idade. Com o envelhecimento, a dentição pode não estar tão boa e eles começam a recusar alimentos mais sólidos, como um bife, por exemplo. A diminuição no consumo desses alimentos acaba por acelerar a perda de massa muscular, que já ocorre naturalmente nestes indivíduos. O risco de quedas, osteoporose, fraturas e dificuldades de locomoção aumentam, por isso, observe as proteínas que eles aceitam mais e tenha sempre à disposição. Ovos, carne moída, grão como feijão e lentilha, frango desfiado, leite, iogurte e peixes, costumam ser bem tolerados.

Oferecer frutas cítricas (laranja, tangerina, abacaxi e kiwi) ajuda na ingestão de antioxidantes, que auxiliam o corpo a “lutar” contra o envelhecimento causado pelos radicais livres.

Consumir leite e seus derivados, como iogurtes e queijos, auxilia na manutenção de bons níveis de cálcio. Mingau de aveia, sanduíche com queijo minas, iogurte com salada de frutas e vitamina de frutas são boas formas de ingerir estes alimentos.

Não podemos nos esquecer da importância do consumo de boas fontes de gorduras, principalmente por idosos que estejam abaixo do peso. Recomenda-se regar a salada com azeite extra virgem, substituir a margarina por pequenas quantidades de manteiga, consumir oleaginosas como castanhas, amêndoas, nozes e amendoim sem sal, e lembrar-se de incluir o abacate na rotina.

Evite que o idoso substitua as refeições por biscoitos e café, incentive-o a almoçar e jantar comida. Caso ele prefira sopa, lembre-se de sempre colocar músculo, frango, grão de bico ou ervilha na preparação.

Manter uma alimentação equilibrada, as consultas com o médico em dia, praticar alguma atividade física com supervisão, permanecer com o peso adequado e tomar, caso necessário, corretamente as medicações, garante uma qualidade de vida muito melhor.
*Maria Clara Pinheiro é nutricionista