Mais seis famílias afetadas pelas chuvas são incluídas no aluguel social

Prefeito Bernardo Rossi se reuniu com moradores que ficaram desalojados e autorizou a doação de kits de chuva

Por O Dia

Prefeito Bernardo Rossi esteve em Pedro do Rio
Prefeito Bernardo Rossi esteve em Pedro do Rio -
Petrópolis - Seis famílias vítimas da chuva que caiu na última quarta-feira, dia 30 de outubro, no Vila Rica, em Pedro do Rio, serão incluídas no aluguel social. A informação foi dada pelo prefeito Bernardo Rossi, para as 21 pessoas que ficaram desalojadas em virtude do temporal. O prefeito também autorizou a doação de kits de chuva, com cama e colchão, armário, geladeira e fogão para os atingidos que perderam móveis. A entrega será feita pelas equipes da Secretaria de Assistência Social.

"O mais importante é garantirmos a dignidade de quem perdeu tudo com a chuva. Agimos rápido, garantindo o pronto atendimento de todas as famílias. Além do trabalho da Assistência Social, colocamos mais de 70 homens para a limpeza e a Defesa Civil para as vistorias necessárias", explicou Bernardo Rossi, que esteve no local acompanhado do vice-prefeito Baninho, na última sexta-feira.

Três casas foram interditadas pelos técnicos da Defesa Civil no local. Os agentes e as assistentes sociais permanecem no ponto de apoio em um plantão de 24h, caso seja necessário mais algum atendimento.

"Nossas equipes estão desde quarta-feira no local e já realizamos os cadastros das famílias e agilizamos a inclusão para a concessão do aluguel social. Três dessas famílias já conseguiram um imóvel para alugar, ou seja, já irão sair do ponto de apoio. Disponibilizamos ainda cestas básicas, kits de higienes além de continuarmos acompanhando todas as famílias", destacou a secretária de Assistência Social, Denise Quintella.

O prefeito vistoriou ainda as ruas do Vila Rica após o trabalho de limpeza feito pela prefeitura. Foram mais de 60 toneladas de material, como lama, pneus, mato e resto de obras retirados da localidade. Mais de 70 homens da Comdep, Secretaria de Obras e de Segurança e Ordem Pública, foram mobilizados para este serviço, além de duas retroescavadeiras e quatro caminhões.

Somente da galeria de águas pluviais foram removidas mais de 32 toneladas de lixo. Foram 10 funcionários da Secretaria de Obras mobilizadas na ação.

"Nossa intervenção precisou ser efetiva para evitar que novos problemas fossem causados caso chovesse novamente", disse o secretário de Obras, Ronaldo Medeiros.

Autuado e multado pela prefeitura, o responsável pela movimentação irregular de terra– um dos fatores que causou o entupimento da galeria - está fazendo a remoção do material que está em seu terreno. O proprietário recebeu uma autorização em 2017 para fazer uma obra de drenagem na área, mas o alvará expirou e não foi renovado. A licença não permitia movimentação de terra, ação que ele vinha executando, e por isso foi determinado o embargo.

Comentários