Taxista baleado no Morro do Gulf pode ter se ferido com tiro disparado acidentalmente pela própria arma

Segundo testemunhas, motorista costumava andar armado e guardava o revólver no bolso do casaco. Polícia Civil não descarta nenhuma possibilidade

Por O Dia

Polícia Civil não descarta a hipótese do taxista ter se ferido acidentalmente. Investigação continua durante a semana
Polícia Civil não descarta a hipótese do taxista ter se ferido acidentalmente. Investigação continua durante a semana -
Petrópolis - Baleado na região do abdômen, um taxista de 62 anos continua internado em estado grave no Hospital Alcides Carneiro. Ele foi encontrado caído, na porta de sua casa, na noite do último sábado, na Comunidade do Gulf. Inicialmente, o caso vinha sendo tratado como tentativa de homicídio, porém, durante as investigações, apareceram dúvidas, surgindo a hipótese de uma auto lesão, provavelmente acidental.
Por enquanto podemos afirmar apenas que a Polícia Civil está investigando e não descarta nenhuma possibilidade. Testemunhas estão sendo ouvidas, porém, nesse momento seria errado afirmar que o taxista foi vítima de uma tentativa de homicídio”, explica Juliana Ziehe, delegada titular da 105ª DP, do bairro Retiro, onde o caso está sendo apurado.
Existem indícios de que a vítima tinha o hábito de andar armado e guardava o revólver no bolso do casaco, reforçando a hipótese de tiro acidental. A vítima foi encontrada por populares que passavam pelo local na noite de sábado e alertaram duas moradoras. O homem estava inconsciente, caído em frente a sua residência. Quando chegaram, as vizinhas perceberam os ferimentos.
Inicialmente, o taxista foi socorrido para a Unidade de Pronto Atendimento – UPA, do Centro, sendo transferido na madrugada de domingo para o Hospital Alcides Carneiro. Policiais Militares estiveram na unidade. As vizinhas prestarem esclarecimentos na delegacia do Retiro, onde familiares também estão sendo ouvidos.

Comentários