Expectativa do Sindicato do Comércio Varejista de Petrópolis é que outras categorias de serviços sejam liberadas para o reequilíbrio financeiro do comércio - Divulgação/Sicomércio
Expectativa do Sindicato do Comércio Varejista de Petrópolis é que outras categorias de serviços sejam liberadas para o reequilíbrio financeiro do comércioDivulgação/Sicomércio
Por O Dia
Petrópolis - Desde o último dia 01, empresários de 11 segmentos do setor de bens e serviços estão autorizados a abrir os estabelecimentos. A expectativa do Sindicato do Comércio Varejista de Petrópolis (Sicomércio) é que outras categorias de serviços sejam liberadas para o reequilíbrio financeiro do comércio.

A flexibilização do comércio e serviços é, também, um passo importante na luta contra a Covid-19. Precisamos pensar na manutenção da atividade empresarial e principalmente dos empregos gerados por ela. O município tem feito a parte dele na criação de leitos de UTI para atender a demanda da cidade. Agora é o momento de reabrir o comércio com responsabilidade para evitarmos um outro problema: o do desemprego”, explica Marcelo Fiorini, presidente do Sicomércio.

Para garantir segurança no atendimento, as lojas tiveram que se adaptar a esse novo momento. Estão autorizados a abrir estacionamentos rotativos e particulares, lojas de conserto de equipamentos elétricos e eletrônicos, concessionárias e agências de veículos, óticas, consultórios médicos e odontológicos, lavanderias, lanchonetes e restaurantes às margens da BR-040, lojas de tecidos, armarinhos, artigos de costura e congêneres, lojas de autopeças, chaveiros e lojas de suprimentos para escritório e papelarias. Ainda durante a elaboração do plano de retomada da economia da cidade, o Sicomércio se comprometeu com o poder executivo através de um ofício, a atender todas as exigências de biossegurança para atendimento seguro dos clientes e principalmente para preservação da saúde dos colaboradores. Papelarias localizadas no Centro Histórico estão entre as atividades liberadas nesta primeira fase de flexibilização. As lojas foram todas adaptadas para o retorno do atendimento.

Para o nosso retorno, fizemos as adaptações às regras gerais para o atendimento ao público. Funcionários e clientes estão utilizando máscaras de proteção, álcool gel para a higienização das mãos na entrada da loja e nos balcões de atendimento, marcações no solo indicando o espaçamento individual de um metro e meio, o controle de clientes na entrada da loja bem como a higienização constante no interior da loja”, reforça Sérgio Maiworm, proprietário de uma das várias lojas do setor na cidade.

Marcelo Fiorini reforça o compromisso do comércio em garantir que a disseminação do vírus não aconteça com a liberação das atividades. “Com responsabilidade reabrimos alguns estabelecimentos seguindo todas as normas estabelecidas pelas organizações de saúde para segurança de colaboradores e clientes. Agora aguardamos a liberação dos outros segmentos. Nos comprometemos a oferecer um ambiente seguro para todos, pois não queremos que o município recue e decrete o fechamento novamente".