Fiscais em ação em Petrópolis; aglomerações dos últimos dias preocupam governo municipal e podem ser causa do aumento de atendimentos de casos de covid-19 na cidade - Divulgação
Fiscais em ação em Petrópolis; aglomerações dos últimos dias preocupam governo municipal e podem ser causa do aumento de atendimentos de casos de covid-19 na cidadeDivulgação
Por Marco Antonio Pereira
Publicado 10/09/2020 18:10 | Atualizado 16/09/2020 09:13
Petrópolis - A Secretaria de Saúde de Petrópolis informa sobre um ligeiro crescimento no número de atendimentos a pessoas com sintomas do coronavírus nos pontos de apoio do Centro e Itaipava nas duas últimas semanas. Uma possível causa é o descumprimento das medidas e decretos do governo municipal para o combate ao contágio pela doença.

“Nosso parâmetro para as ações de flexibilização sempre teve como base o índice de internações nas unidades de terapia intensiva de Petrópolis. Temos observado um crescimento nesse índice, reflexo das aglomerações e do não cumprimento aos decretos e medidas municipais”, explicou o prefeito Bernardo Rossi.

Após a confirmação do aumento da procura por atendimento nos postos, a secretária de Saúde, Fabíola Heck, fez um alerta: “Os mais jovens, principalmente, devem ter mais consciência e respeitar as medidas de distanciamento social e não promover aglomerações. Eles estão levando o vírus para dentro de casa e contaminando os mais velhos da família”.

“Não há número exatos, mas percebemos um aumento no número de atendimento em nossas unidades a pessoas do grupo de risco, especialmente os idosos”, completou Fabíola.

Por isso a preocupação do prefeito Bernardo Rossi: “Volto a pedir a colaboração de toda a população no enfrentamento à COVID-19 na nossa cidade. A ação de todos neste momento continua sendo muito importante porque a pandemia ainda não acabou. Precisamos lembrar que o uso de máscaras e o afastamento social têm fundamental importância para que a saúde de todos seja preservada”, declarou.

“Vale lembrar que, caso nossos números cheguem a 80%, vamos ser obrigados a retroceder no processo de flexibilização e voltar a tomar providências para que mais vidas sejam salvas”, finalizou Rossi.

Se isso acontecer, uma das ações seria o cancelamento das linhas intermunicipais e interestaduais, por exemplo. Uma flexibilização reversa não está fora de cogitação, como o fechamento de bares, restaurantes e lojas em geral. E a mais radical das ações: o lockdown.

Embora Petrópolis tenha se adiantado em relação a outra cidades do estado e do país, as ações podem se tornar necessárias porque não há mão de obra suficiente para fazer a fiscalização de todos os pontos onde acontecem aglomeração, sendo a conscientização coletiva a única forma de evitar que essas medidas drásticas sejam tomadas de novo para o combate ao coronavírus.

O quadro de internações, e seus respectivos índices, podem ser acompanhados através do boletim diário e do portal da COVID-19, no site da prefeitura.