Em alusão à data, em período de pandemia, a Luta Antimanicomial é marcada por uma exposição, no hall de entrada da prefeitura.
Em alusão à data, em período de pandemia, a Luta Antimanicomial é marcada por uma exposição, no hall de entrada da prefeitura.Foto: Divulgação.
Por Bertha Muniz
QUISSAMÃ - O dia 18 de maio é lembrado o Dia Nacional da Luta Antimanicomial. Em Quissamã, uma ampla rede de atendimento faz jus à reforma psiquiátrica promovida pela Lei 10.216/2001. O coordenador geral do Programa de Saúde Mental, o psicólogo Danilo Melchiades, ressalta que a luta é dos trabalhadores de saúde mental, de familiares e das pessoas com sofrimento psíquico pelo direito à liberdade.

Atualmente, a rede pública de saúde de Quissamã atende 155 usuários através do Centro de Atenção Psicossocial (Caps), Ambulatório de Saúde Mental, Equoterapia e Serviço de Emergência Psiquiátrica com quatro leitos de saúde mental com habilitação. - As pessoas com sofrimento psíquico têm direito à liberdade, de estar junto à família e em sociedade pelo atendimento humanizado, por políticas públicas eficazes e principalmente pelo não aprisionamento em manicômios — frisou Danilo Melchiades.
Publicidade

Em alusão à data, em período de pandemia, a Luta Antimanicomial é marcada por uma exposição, no hall de entrada da prefeitura, dos artigos confeccionados pelos usuários do Programa de Saúde Mental e, também, por conscientização através das mídias sociais da Prefeitura de Quissamã.

A chamada Lei da Reforma Psiquiátrica trouxe avanços significativos no cuidado em saúde mental. Foram criados diversos dispositivos e serviços para promover o cuidado em saúde mental para pessoas com sofrimento psíquico, como os CAPS, Serviços de Residência Terapêutica, leitos em saúde mental em hospitais gerais.
Publicidade

Durante a pandemia

O atendimento psicossocial não parou durante a pandemia da Covid-19 iniciada em 2020.
- Muito pelo contrário, intensificamos e adaptamos nossas intervenções terapêuticas através de visitas domiciliares, atendimento remoto, fornecimento de alimentação para usuários inscritos no Caps de maior vulnerabilidade social, atendimento familiar, além das ações de matriciamento, atendimento médico, dispensação de medicações psicotrópicas e ações intersetoriais – enumera o coordenador geral.
Publicidade

O Programa de Saúde Mental de Quissamã possui equipe multiprofissional formada por médico psiquiatra, enfermeiro, técnico de enfermagem, assistente social, terapeuta ocupacional, psicólogo, equipe administrativa e de serviços gerais. - Possuímos um transporte tipo van que facilita e otimiza muito o nosso serviço. O Dia Nacional da Luta Antimanicomial é um marco de resistência e muitas lutas – completou Danilo Melchiades.