Segundo o Secretário de Fazenda do Município, Júlio César dos Santos Martins, não houve aumento abusivo e sim, a correção da inflação no período - Divulgação
Segundo o Secretário de Fazenda do Município, Júlio César dos Santos Martins, não houve aumento abusivo e sim, a correção da inflação no períodoDivulgação
Por Divulgação
Rio das Ostras - Após alguns questionamentos de contribuintes sobre aumento desproporcional do IPTU, a Prefeitura de Rio das Ostras, por meio da Secretaria de Fazenda, informa que a atualização monetária dos tributos municipais do exercício de 2020 aconteceu por meio da apuração do Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo – IPCA. O percentual aplicado foi de 2,8935%. Essa correção pelo IPCA é histórica e uma responsabilidade do gestor em atualizar anualmente os valores pela inflação.

Vale ressaltar que ainda no exercício de 2017 foi publicada a Lei Complementar 047/2017 que aumentou a alíquota dos Tributos Municipais em 100%. A referida majoração foi revista no exercício de 2018, com a publicação de Lei Complementar, com escalonamento retroagindo os percentuais. Essa medida levou alguns contribuintes que se anteciparam, retirando pelo site ou que receberam pelos Correios os tributos municipais, a pagar seus impostos com aumento desproporcional, recebendo somente no exercício de 2019 seus tributos com desconto do valor pago a mais.

Segundo o Secretário de Fazenda do Município, Júlio César dos Santos Martins, não houve aumento abusivo e sim, a correção da inflação no período.

“Após o recebimento dos tributos do exercício de 2020, o contribuinte teve a sensação de que o valor foi majorado novamente, porém o valor encontra-se normal, mas sem as deduções como no exercício de 2019”, finalizou o secretário de Fazenda, Júlio César.

Como exemplo, apresentamos duas guias de pagamento do mesmo imóvel, sendo uma de 2018 e a outra desse ano mostrando que o valor de 2020 está inferior ao que foi aplicado em 2018. Essa é uma prova de que o aumento abusivo tinha sido aplicado há dois anos e que a atual administração vem trabalhando para fazer uma cobrança justa, seguindo apenas o reajuste inflacionário.