Segundo a Polícia Federal de Macaé, nenhuma viatura ou operação foi designada para o município de Rio das Ostras, desconhecendo o boato - Divulgação WhatsApp
Segundo a Polícia Federal de Macaé, nenhuma viatura ou operação foi designada para o município de Rio das Ostras, desconhecendo o boatoDivulgação WhatsApp
Por Ana Clara Menezes
Rio das Ostras - Nesta sexta-feira (28), mensagens de que estaria ocorrendo uma operação da Polícia Federal, na Prefeitura de Rio das Ostras, viralizou nos grupos de WhatsApp da população riostrense.
Nos áudios compartilhados, um homem afirmava que, a PF teria apreendido computadores do gabinete do prefeito, Marcelino Borba e que dois mandados de prisões seriam executados, sendo um na Secretaria de Obras e outro na de Saúde.
Ainda segundo as mensagens, as ações seriam a respeito de irregularidades na compra respiradores para o Hospital de Campanha da Covid-19 e irregularidades em licitações de obras públicas, com verba federal.
Publicidade
A equipe O DIA apurou os áudios e foto recebida (uma viatura da PF parada em frente ao prédio do executivo) e entrou em contato com a sede da Polícia Federal de Macaé, responsável pelas operações na Região.
Segundo a Polícia Federal de Macaé, nenhuma viatura ou operação foi designada para o município de Rio das Ostras, desconhecendo o boato.
Publicidade
A Prefeitura de Rio das Ostras enviou uma nota ao jornal dizendo que, desconhece qualquer operação da Polícia Federal na sede da administração municipal. A redação também fez contato com o secretário de obras de Rio das Ostras, Daniel Gomes, que esclareceu não saber do ocorrido.
O O Dia também entrou em contato com a sede da Polícia Federal do Rio de Janeiro, e aguarda resposta.