Dois corpos são encontrados em área de mata no Morro Chapéu Mangueira

Na noite desta quarta, houve tiroteio e Bope foi acionado, encontrando dois fuzis, pistola e carregadores. Policiamento está reforçado por tempo indeterminado nas comunidades

Por adriano.araujo , adriano.araujo

Rio - Dois corpos foram encontrados, na manhã desta quinta-feira, em uma área de mata no Morro Chapéu Mangueira, no Leme, na Zona Sul do Rio. As informações são da Coordenadoria de Polícia Pacificadora (CPP), mas não há a identificação dos mortos e a motivação. Há mais de uma semana, as comunidades do Chapéu Mangueira e Babilônia, que contam com uma UPP, vivem uma rotina diária de violência, que é ocasionada pela guerra entre traficantes rivais. O policiamento está reforçado na região por tempo indeterminado pelo Comando de Operações Especiais (COE) da PM.

Na noite desta quarta-feira, um novo tiroteio voltou a assustar moradores que vivem nas comunidades. Após o tiroteio, policiais do Batalhão de Operações Policiais Especiais (Bope) foram acionados para o local. Durante o vasculhamento a caça de traficantes, foram encontrados dois fuzis, uma pistola, drogas e munições. Um suspeito foi baleado e está sob custódia no Hospital Miguel Couto, na Gávea, segundo a PM.

LEIA TAMBÉM: Cartaz de traficantes envolvidos em guerra no Leme é divulgado

O registro do dois corpos encontrados na área de mata foi feito na 12ª DP (Copacabana). O policiamento nesta quinta-feira segue reforçado por agentes de outras UPPs e pelo 19º BPM (Copacabana). O Batalhão de Ação com Cães (BAC) também foi acionado e, segundo a PM, o Comando de Operações Especiais (COE) ficará nas comunidades por tempo indeterminado, assim como nas comunidades Pavão-Pavãozinho e na Ladeira dos Tabajaras, em Copacabana, que conta com criminosos que estão no grupo que tentam invadir as comunidades do Leme.

Rotina de medo

Os diários tiroteios nas comunidades têm criado uma rotina de medo de quem vive nelas. Há mais de uma semana, as comunidades do Chapéu Mangueira e Babilônia, que contam com uma Unidade de Polícia Pacificadora (UPP), vivem em meio a uma guerra entre traficantes rivais que disputam a venda de drogas na comunidade.

No última sábado, duas pessoas foram mortas no Chapéu Mangueira, que junto com a vizinha Babilônia, era considerada exemplo de sucesso do programa das UPPs. Segundo a Delegacia de Homicídios (DH), Paulo Roberto Santos de Oliveira, de 21 anos, foi encontrado morto pelos agentes que foram chamados ao local. Já Thiago Vinicius da Silva, de 22 anos, chegou a ser socorrido e levado para o Hospital Miguel Couto, na Gávea, mas não resistiu aos ferimentos. Não há informações sobre a participação deles ou não na guerra do tráfico.

Na noite da sexta-feira anterior as mores, um outro tiroteio, este no Morro da Babilônia, que deixou ferido um morador que tomava banho no banheiro de casa. Moradores da área dizem que há uma disputa de quadrilhas rivais para o domínio do tráfico no local.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia