ONG referência no atendimento a vítimas de violência sexual pode fechar

Organização está sem receber verbas por parte do estado. Secretaria disse que efetuaria pagamento nesta quinta

Por gabriela.mattos

Rio - A luta pelo fim da cultura do estupro pode sofrer uma preocupante derrota nos próximos dias. A ONG ConTato, referência no atendimento a jovens e crianças vítimas de violência sexual, corre o risco de fechar as portas por falta de repasses de verbas por parte do governo do Estado.

A Secretaria Estadual de Assistência Social e Direitos Humanos admitiu o problema e prometeu que efetuaria o pagamento da cota de fevereiro ontem. A ConTato não confirmou o recebimento até o início da noite.

Desalojados
A 14ª Vara de Fazenda Pública determinou que o estado e o município paguem aluguel social ou auxílio habitacional temporário a 30 famílias desalojadas de um imóvel na Gamboa em março. A ação foi movida pelo Núcleo de Terras e Habitação da Defensoria Pública.

Sem partido 
O deputado estadual Carlos Minc sentiu na pele o fato de não ter um partido para chamar de seu. Ontem, foi impedido de apresentar emenda a um projeto de lei de Luiz Paulo (PSDB) porque apenas líderes de partido têm essa prerrogativa. A emenda de Minc acabou sendo assinada por Marcelo Freixo (Psol).

Provocação
Luiz Paulo aproveitou a situação para encarnar na indecisão de Minc, que está sem partido desde que deixou o PT em março. “Se você quer ir para o Psol, pode ir. O que a gente quer é que você se decida.”

Segurança reforçada
O vereador Célio Lupparelli (DEM) entrou com representação no Ministério Público para que a Secretaria de Segurança reforce o policiamento ao redor de escolas.

Vai explodir
Toninho Geraes apresentou ao parceiro Zeca Pagodinho o samba que fez com Moacyr Luz, “Toda Hora”, cujo refrão começa com o verso “Amigo eu nunca fiz bebendo leite”. Vem sucesso aí.

Patrimônio imaterial em risco

?Os feirantes noturnos de Copacabana foram transferidos temporariamente da frente da antiga boate Help para as imediações da Rua Bolívar, por conta das obras para a Rio-2016. A falta de iluminação no local, no entanto, tem colocado em risco a segurança dos turistas que fazem suas compras na feira, considerada patrimônio imaterial da cidade. Os feirantes reclamam do descaso da prefeitura. A Secretaria de Ordem Pública prometeu cobrar da Rioluz, responsável pela iluminação na área, uma solução para o problema.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia