Pedreiro mata a mulher e mantém o corpo na própria casa

Corpo da vítima foi encontrado quatro dias após o crime, após vizinhos se incomodarem com o mau cheiro na residência

Por thiago.antunes

Rio - Policias do Grupo de Investigações Criminais (GIG) da 62ª DP (Imbariê) prenderam, na manhã desta sexta-feira, o pedreiro José Gomes de Souza, de 56 anos. Ele é acusado de matar a própria companheira com pancadas na cabeça, no último domingo. O corpo da vítima só foi localizado quatro dias depois do crime. Contra o suspeito foi cumprido um mandado de prisão temporária de 30 dias por homicídio qualificado.

De acordo com os investigadores da 62ª DP, na quinta-feira, vizinhos incomodados com o mau cheiro na casa residência da vítima, no bairro Parada Morabi, Duque de Caxias, acionaram a polícia. Os agentes da distrital foram até o local com a perícia e encontraram uma chave de grifo ao lado do corpo, que estava na sala do imóvel.

Ao ser questionado pelos policiais sobre a morte da namorada, José disse que estava surpreso e que desde domingo ficou procurando pela vítima na vizinhança. Testemunhas contaram aos investigadores que o pedreiro chegou a inventar que a namorada tinha viajado. Desconfiados da versão do acusado, os agentes conduziram ele até a delegacia.

Na 62ª DP, José apresentou uma nova versão. Segundo os agentes, ele alegou que a vítima tentou acertá-lo com uma faca e ele a empurrou. Com isso, a companheira dele teria batido a cabeça no chão. Porém, ao ser interrogado novamente pela história, ele acabou confessando o crime. A chave de grifo foi apreendida e vai ser levada a perícia.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia