Justiça decreta prisão preventiva de três suspeitos de estupro coletivo no Rio

A pedido do MP, foi arquivado o inquérito em relação a Lucas Perdomo e rejeitada a denúncia referente ao 'Da Russa'

Por O Dia

Rio - A 2ª Vara Criminal Regional de Jacarepaguá, na Zona Oeste, recebeu a denúncia do Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MP-RJ) e decretou a prisão preventiva dos réus Raí de Souza, Raphael Assis Duarte Belo e Moisés Camilo Lucena, nesta quinta-feira. Eles são acusados de participar do estupro coletivo contra uma adolescente de 16 anos, na Comunidade da Barão, na Praça Seca, na Zona Oeste, no mês passado.

Além disso, a pedido do MP, foi arquivado o inquérito em relação a Lucas Perdomo Duarte Santos e também rejeitada a denúncia referente a Sérgio Luiz da Silva Júnior, também conhecido como Da Russa. Para a Justiça, não há indícios de sua participação nos crimes.

LEIA MAIS

Ministério Público denuncia quatro pessoas por estupro coletivo no Rio

?Polícia indicia sete em caso de estupro coletivo no Rio

?Delegada pedirá revogação da prisão de dois suspeitos de estupro coletivo

O réu Raí de Souza responde ainda pela prática dos crimes de filmar, registrar, divulgar e transmitir, por qualquer meio, cena de sexo explícito ou pornográfica, envolvendo criança ou adolescente. O réu Raphael Assis Duarte Belo também responde pelo mesmo crime. Nesta decisão, o juiz entendeu ainda que a Justiça Federal que analisará o processo contra Marcelo Miranda da Cruz Correa e Michel Brasil da Silva, que teriam divulgado os vídeos nas redes sociais.

O processo continua a tramitar em segredo de Justiça. Assim fica proibida a divulgação de notícias que contenham identificação da vítima adolescente, vedando-se fotografia, vídeos, referência a nome, apelido, filiação, parentesco, residência e, inclusive, iniciais do nome e sobrenome.

Últimas de Rio De Janeiro