Por gabriela.mattos
Publicado 01/11/2016 18:54 | Atualizado 01/11/2016 18:55

Rio - Após polêmica, um projeto de lei que visava garantir o salário de R$ 15 mil líquidos a todos os funcionários públicos que exerceram cargo no Legislativo foi retirado de pauta na tarde desta terça-feira. De autoria do vereador João Cabral (PMDB), a medida valeria para aqueles que tivessem três mandatos consecutivos (12 anos) e que fossem servidores públicos de carreira.

Os vereadores estão decidindo se haverá uma sessão extraordinária, no início da noite desta terça-feira, para votar o arquivamento da medida. O Projeto de Lei (1442/2015) do pemedebista, que é professor e não foi reeleito, tirava a necessidade do servidor de ter que optar por uma de suas remunerações.

Com isso, os parlamentares passariam a receber os seus salários de profissão, somado ao salário de secretário municipal, sem abrir mão de nenhuma vantagem ao se aposentar.

De acordo com a Lei Orgânica do Município, o projeto torna-se inconstitucional, já aumentaria as despesas públicas caso fosse aprovado. Uma petição online contra essa proposta está circulando na Internet. "Não vai ter mesada" já consta mais de 5 mil assinaturas.

Você pode gostar