Três policiais são presos por associação criminosa

Segundo a Corregedoria da Polícia Civil, suspeitos exigiram R$ 1 milhão para não envolverem parentes de traficante em um inquérito

Por gabriela.mattos

Rio - Dois policiais civis e um militar foram presos, na noite desta sexta-feira, suspeitos de associação criminosa. Segundo informações da Corregedoria da Polícia Civil (Coinpol), o civil Hugo Holt Castro e o PM Marcos Paulo Aires Pereira, do Departamento Geral Pessoal, exigiram R$ 1 milhão para não envolverem parentes de um traficante em um inquérito.

Na ocasião, a investigação apurava o envolvimento do suspeito em confronto no Morro do Turano, no Rio Comprido, e em crimes como associação para o tráfico de drogas. Além deste valor, de acordo com a polícia, a dupla teria ainda pedido uma quantia de R$ 300 mil.

A Coinpol informou ainda que os dois policiais haviam marcado uma reunião com o advogado e o policial civil André Pereira Guimarães, nesta sexta-feira, para renegociarem os valores do acordo. Os agentes prenderam o trio em flagrante, que foi encaminhado à Corregedoria.

Eles localizaram ainda as mensagens trocadas entre os suspeitos por meio do WhatsApp, que comprovaram o acordo ilícito entre as partes. Os três policiais foram autuados por crimes de concussão e de associação criminosa. Caso sejam condenados, eles podem cumprir até 11 anos de prisão.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia