Mais Lidas

Corpo de Almir Guineto é sepultado no cemitério de Inhaúma

Sambista faleceu por complicações decorrentes da diabetes

Por thiago.antunes

Rio - O sambista Almir Guineto foi sepultado, na tarde deste domingo, no Cemitério de Inhaúma, na zona norte da cidade do Rio de Janeiro. Almir de Souza Neto morreu na tarde de sexta-feira aos 70 anos, vítima de complicações decorrentes da diabetes.

O sambista ficou internado por dois meses no Hospital Clementino Fraga Filho, vinculado à Universidade Federal do Rio de Janeiro, no Fundão, para se tratar de pneumonia e problemas renais crônicos.

Nascido e criado no Morro do Salgueiro, na Tijuca, na Zona Norte do Rio, Guineto foi um dos fundadores do Fundo de Quintal e também cavaquinista do grupo Os Originais do Samba, que tinha como cantor o humorista Mussum.

Além de cantor, Almir Guineto também era compositor e suas músicas foram gravadas por vários artistas. Entre seus maiores sucessos como compositor está Coisinha do Pai (em parceria com Jorge Aragão e Luiz Carlos). Em sua voz, ficaram famosas canções como 'Caxambu' e 'Insensato Destino'.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia