23/03/2018 - Lançamento da Raspa Rio no estádio do Maracnã, em parceria com o jornal. Na foto acima o presidente da Loterj Sergio Ricardo. Foto: Luciano Belford / Agencia O Dia - Luciano Belford / Agencia O Dia
23/03/2018 - Lançamento da Raspa Rio no estádio do Maracnã, em parceria com o jornal. Na foto acima o presidente da Loterj Sergio Ricardo. Foto: Luciano Belford / Agencia O DiaLuciano Belford / Agencia O Dia
Por SÉRGIO DE ALMEIDA

Como a Loterj chegou aos nomes dos ídolos da Raspa Rio Super Craques?

-Fizemos uma pesquisa qualitativa, tentando buscar quem seriam os ídolos das torcidas. O Zico foi majoritário entre os do Flamengo. Edmundo rivalizava com o Roberto Dinamite, mas sempre esteve à frente no Vasco. No Botafogo, Túlio foi o primeiro colocado. No Fluminense, houve uma divisão. Muitos citaram o Fred, mas que joga em outro clube. Assis, falecido, e Rivelino. Mas o Romerito aparecia em todas as listas, pois é um ídolo.

Qual é a expectativa de retorno com o produto?

- Foi um projeto ousado. Por isso, nós chamamos o jornal O DIA para estar conosco. Não é simples unir craques no mesmo produto. Mas conseguimos. Isso mostra a força da Loterj, do jornal O DIA. Estamos levando fé que vá vender muito a Raspa Rio Super Craques, a R$ 3. Precisamos, pois parte do lucro é dedicado ao social. Dos 80 anos da Loterj, este é um momento que marca a sua história.

Qual a importância da parceria com O DIA?

- A Loterj sempre esteve envolvida com as coisas do Rio nos últimos 80 anos. Lançamos a do Samba, da Cultura, do Maracanã, do Carnaval, do Rock in Rio... Quando a gente se une com O DIA, um jornal carioca, com mais de 60 anos, no Maracanã... Tem tudo para dar certo.

 

Você pode gostar
Comentários