Por

Entre os pleitos dos taxistas está o fato de o decreto não ter limitado o número de carros a circular por aplicativos. Por nota, o prefeito Marcelo Crivella informou que está estudando juridicamente a possibilidade de aumentar a cobrança da taxa para carros de aplicativos que não tem placa do Rio. "Se for possível aí eu vou buscar um consenso entre os aplicativos e os táxis. Eu não pratico a política do me engana que eu gosto, não faço isso", afirmou. Pelo decreto publicado, os aplicativos serão taxados em 1% do valor das corridas, sem distinção das placas.

De acordo com o diretor do Sindicato, Alexandre Rezende, o objetivo do protesto foi mostrar a indignação com o decreto, além da falta de distribuição de autonomias. "Na próxima terça, vamos à Câmara de Vereadores propôr um projeto de lei com regras diferentes", alegou.

O taxista Cosmo da Silva, há mais de 20 anos no táxi, participou do protesto. "Minha renda caiu 60%. O prefeito não cumpriu com o que ele prometeu de limitar o número de carros. Não tem serviço para todo mundo".

Você pode gostar
Comentários