Greve dos caminhoneiros ainda causa transtornos no Rio

De acordo com a Rio Ônibus, pela manhã, somente 23% da frota estava em circulação no município

Por O Dia

Manifestação dos Caminhoneiros em frente a entrada da Reduc
Manifestação dos Caminhoneiros em frente a entrada da Reduc -

Rio - Pelo sexto dia consecutivo, caminhoneiros realizam manifestações em diversas rodovias do estado neste sábado, apesar da presença da Polícia Rodoviária Federal (PRF) e do decreto que permite o uso das forças armadas para desbloqueio de vias.

Na Rodovia Presidente Dutra, manifestantes estão no acostamento, sem interrupção de faixas, na altura de Seropédica, na Baixada Fluminense, em ambos os sentidos. Já em Barra Mansa, os caminhoneiros estão em dois postos de gasolina, no sentido São Paulo. 

Segundo a PRF, os manifestantes ocupam o acostamento da BR 101 Norte, no trecho de Campos dos Goytacazes, nos dois sentidos.  No trecho da BR 101 Sul, no Rio de Janeiro, há a presença de manifestantes no acostamento, nos dois sentidos. O trânsito flui para veículos de passeio. 

Já na Niterói-Manilha, grevistas ocupam ambos os sentidos no acostamento. E na BR 040, a Rodovia Washington Luis, na altura de Duque de Caxias, os caminhoneiros seguem no acostamento, na pista sentido Juiz de Fora, próximo à Reduc, onde manifestantes prometem impedir a saída de caminhões.

Por causa da falta de combustível, neste sábado o sistema de transporte público reduziu as frotas ainda mais. De acordo com a Rio Ônibus, pela manhã, somente 23% da frota estava em circulação no município. "As empresas têm remanejado os veículos de forma a atender melhor à população nos horários de pico", disse a empresa em nota. O sistema BRT está inoperante neste sábado, assim como as Barcas, trajeto Rio-Niterói.

A baixa de frutas, hortaliças e legumes, por causa da crise dos combustíveis, tem provocado adaptações nos restaurantes e lanchonetes cariocas. No entanto, além do uso de outros insumos, o cenário pode ficar ainda mais grave. De acordo com o Sindicato de Bares e Restaurantes do Rio (SindRio), alguns estabelecimentos podem fechar as portas já na próxima semana.

 

 

 

Últimas de Rio de Janeiro