Motociclistas são baleados na Gávea

Eles estavam em um grupo que atirou contra policiais na Austroestrada Lagoa-Barra, na altura do Planetário

Por Raimundo Aquino

Autoestrada Lagoa-Barra
Autoestrada Lagoa-Barra -

Rio - Dois motociclistas foram baleados na Gávea, na Zona Sul da cidade, na madrugada desta quinta-feira. De acordo com a Polícia Militar, cinco motos sem placa e com dois ocupantes cada estavam trafegando em atitude suspeita pelo Jardim Botânico, bairro vizinho. Os policiais, então, fizeram cerco na região para interceptar o grupo, mas eles fugiram quando avistaram os agentes.

Ainda segundo a PM, perto do Túnel Rafael Mascarenhas, na Austroestrada Lagoa-Barra, na altura do Planetário, os policiais conseguiram alcançar uma das motos, mas foram alvo de tiros quando outras duas motocicletas se aproximaram. Teve início, então, uma troca de tiros e os motoristas fugiram do lugar.

Mais tarde, o 23º BPM (Leblon) foi informado que dois motociclistas feridos deram entrada no Hospital Municipal Miguel Couto. Um deles foi liberado e outro que passou por cirurgia ortopédica seguia internado em quadro estável, segundo a Secretaria Municipal de Saúde.

O  caso está sendo analisado pela 15ª DP (Gávea).

Tiros assustaram moradores

O incidente aconteceu por volta de 2h e uma moradora da região, que prefere não se identificar contou que estava dormindo na hora dos tiros. "Acordei no maior susto com os cachorros que tenho e fui para a sala ver se as pessoas da minha casa também estavam escutando", ela diz. "Minha mãe já estava em pé com o outro cachorro no colo. Fiquei atrás de um móvel da sala olhando para a varanda", acrescenta.

Segundo ela, foram feitos disparos de tiros ao longo de 15 segundos. "Logo depois, ouvi o barulho de carro cantando pneu e de moto em alta velocidade".

'Policiais com armas para fora'

Uma outra moradora disse que estava passeando com sua cadela pela Rua Embaixador Carlos Tailor quando se deparou com a cena. "Me escondi atrás de um carro e depois corri para a guarita com o segurança. Quando acalmou, fui para a minha garagem. O coração está na boca até agora", relatou, nas redes sociais.

Outro morador da região achou que os tiros teriam sidos disparados por causa de um assalto. "Estava indo dormir. Rolaram vários tiros na rua. Pareciam muito perto. Moro depois da PUC, na (Rua) Marquês de São Vicente e achei que fosse assalto. Desci e vi dois carros da polícia subindo rápido com as portas abertas e os policiais com armas para fora apontando para frente", postou, também na Internet.

Últimas de Rio de Janeiro