Justiça decide internar adolescente envolvido em acidente que matou PM e mulher

Prazo de internação é de 45 dias, quando deverá ser concluído o julgamento

Por O Dia

O PM Thiago Abraão e sua esposa Deise Tarquínio, que estava grávida, morreram atropelados por suspeitos em fuga
O PM Thiago Abraão e sua esposa Deise Tarquínio, que estava grávida, morreram atropelados por suspeitos em fuga -

Rio - A Justiça determinou a internação provisória do adolescente que estava no carro com bandidos em fuga e que bateu em uma moto na quinta-feira, matando o cabo da PM Thiago Abraão Lopes da Silva, 33 anos, e sua mulher, Deise Tarquínio da Silva, que estava grávida de dois meses, em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense

De acordo com a juíza Juliana Kalichsztein, da Vara da Infância, da Juventude e do Idoso, de Duque de Caxias, o jovem é acusado de associação criminosa, porte ilegal de arma de fogo de uso restrito e resistência à prisão, atos infracionais considerados extremamente graves e que envolvem violência ou grave ameaça, requisitos que autorizam a imposição de medida socioeducativa de internação. O prazo de internação é de 45 dias, quando deverá ser concluído o julgamento.

Segundo a magistrada, o rapaz — que já tem passagem pela polícia por tráfico de drogas— estava foragido do Criaad (Centro de Recursos Integrados de Atendimento ao Adolescente) de Duque de Caxias, desde março do ano passado. Já havia mandado de busca e apreensão contra ele.

O acidente 

Três pessoas morreram após serem atingidas por um veículo de bandidos que fugiam de policiais do 15º BPM (Caxias) no bairro Jardim Primavera, em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense, na manhã desta quinta-feira. Duas vítimas são o cabo da PM Thiago Abraão Lopes da Silva, 33 anos, e sua mulher, Deise Tarquínio da Silva, que estava grávida de dois meses. Eles chegaram a ser socorridos para o Hospital Adão Pereira Nunes, em Saracuruna, mas não resistiram aos ferimentos. O terceiro morto é o suspeito, identificado Deividson Luiz Moreira do Nascimento, 19 anos, que morreu no local.

Os bandidos tinham roubado o Toyota Etios do representante comercial Carlos Henrique Santos, de 51 anos, na Estrada Rio-Magé, por volta das 3h, quando ele seguia para o aeroporto do Galeão, onde embarcaria para São Paulo às 6h. Segundo a vítima, um dos criminosos parou no meio da pista, completamente escura, e atirou. Ele parou, tentou pedir para ficar o celular, mas os ladrões não entregaram. Em seguida, um caminhão da Concer, que administra a BR-040, deu carona para o homem e acionou a polícia.

Últimas de Rio de Janeiro