O policial federal Luis Carlos foi morto na noite de terça e o civil Eduardo Freire na manhã desta quarta - Arquivo Pessoal
O policial federal Luis Carlos foi morto na noite de terça e o civil Eduardo Freire na manhã desta quartaArquivo Pessoal
Por O Dia

Rio - O Disque Denúncia divulgou, nesta quinta-feira, que está oferecendo R$ 5 mil de recompensa para quem der informações que levem à prisão dos envolvidos na morte dos policiais Luis Carlos Dias e Eduardo Freire Pinto Guedes Filho, de 47 anos. Luis Carlos era policial federal aposentado e foi morto, na noite desta terça, durante uma tentativa de assalto no Recreio. Já Eduardo Freire era policial civil e foi assassinado, na manhã desta quarta, também em uma tentativa de assalto, só que no Engenho de Dentro.

Quem tiver qualquer informação sobre os autores dos dois crimes pode entrar em contato pelos seguintes canais: Whatsapp ou Telegram do Portal dos Procurados: (21) 98849-6099; Central de Atendimento do Disque Denúncia: (21) 2253-1177; Facebook/(inbox): www.facebook.com/procurados.org/;ou pelo aplicativo "Disque Denúncia RJ".

A entidade afirma que as denúncias são anônimas e toda informação que receber irá repassar à Delegacia de Homicídios da Capital (DH) e à Coordenadoria de Inteligência da Polícia Militar (GPRI), que estão responsáveis pelos casos.

Entidade oferece recompensa para encontrar autores dos dois crimes - Divulgação / Disque Denúncia

Quatro policiais baleados em 24h

Além de Luis Carlos e Eduardo Freire, outros dois policiais foram baleados em menos de 24h na cidade. Pouco mais de uma hora antes do crime contra o inspetor Eduardo, o agente da Polícia Civil arcus Aurélio Garcia da Fonseca, de 45 anos, foi baleado, ao reagir a um arrastão, no Andaraí. Ele foi atingido por seis tiros e levado para o Hospital Federal do Andaraí, onde passou por uma cirurgia. Familiares do agente pedem doação de sangue para ele.

Na parte da tarde, bem próximo da abordagem contra o inspetor Marcus Aurélio, o policial militar Leonardo Freitas, 37 anos, foi ferido também durante uma tentativa de assalto. Ele foi abordado quando chegava em casa, na Rua Senador Nabuco, em Vila Isabel, e também foi levado ao Hospital Federal do Andaraí, onde passou por uma cirurgia. Seu estado de saúde é estável.

Já na noite desta quarta, o Sindicato dos Policiais Civis do Estado do Rio (Sindipol-RJ) divulgou uma nota criticando a situação de trabalho dos agentes. A entidade também cobra providências do governo do estado sobre os ataques aos inspetores Marcus Aurélio e Eduardo Freire.

O carro do inspetor Marcus foi atingido por 10 tiros, mas ele escapou com vida - Estefan Radovicz / Agência O Dia

Você pode gostar