Vale tudo para ver o jogo do Brasil

Torcedores curtiram várias festas. Quem não pode, deu jeitinho e tirou casquinhas

Por *O DIA

Praça Mauá ficou tomada por torcedores que fizeram a festa com a camisa verde e amarela na manhã de ontem -

Rio - Em uma atípica manhã de segunda-feira com ar de feriado, valeu de tudo para assistir ao jogo do Brasil contra o México e comemorar a vitória da Seleção por 2x0. Quem não conseguiu se juntar à torcida calorosa que tomou conta da Praça Mauá, no Centro, deu seu jeito de não perder o lance dos jogadores. Entre um serviço e outro, o chaveiro Vagner Moura, 38, que trabalha no Jardim Botânico, conseguiu uma brecha para assistir a partida na TV da portaria de um prédio.

"Enquanto não tem cliente, corro para dar umas olhadas no placar", disse ele, que apostou modestamente em 1x0 para o Brasil e foi surpreendido positivamente. Quem também consegue um jeitinho de assistir ao jogo durante o trabalho é o porteiro Thiago Vieira, de um condomínio da Tijuca. "Não participo da festa, mas vejo a partida pelo celular", contou.

Os frequentadores do Parque de Madureira acordaram cedo ontem e fizeram bonito na comemoração pelo resultado do time de Tite. Com direito a telão, os bares de lá ficaram cheios de torcedores que já criaram expectativa para as quartas de final, na sexta-feira contra a Bélgica. "De qualquer forma o Brasil tem que jogar bem", destacou Robson Monteiro, que foi a caráter, de verde e amarelo, para o parque.

A animada torcida mexicana também gritou alto na Cidade Maravilhosa. No restaurante Guacamole, no Jardim Botânico, brasileiros e os 'hermanos' da América do Norte torceram lado a lado durante a partida. A brasileira Monica Marracini e o mexicano Julio Fregoso, que são casados e vivem entre os dois países, acompanharam o jogo sem rivalidade. "Trouxe ele aqui porque já estive na situação de torcer pelo Brasil fora de casa. Não queria que ele se sentisse triste ou excluído".

A festa contou até com a presença de autoridades, como a cônsul-geral do México no Brasil, Linda Maria Dolores Munive Temoltzin. "Ficamos com nostalgia do nosso país, mas é importante ficarmos juntos. Somos amigos, os brasileiros são nossos irmãos", disse ela, que após a derrota vai torcer pelo Brasil.

*Reportagem de Nadedja Calado e do estagiário Felipe Rebouças

Galeria de Fotos

Praça Mauá ficou tomada por torcedores que fizeram a festa com a camisa verde e amarela na manhã de ontem Severino Silva
Chaveiro Vagner ficou com um olho no trabalho e outro na TV do porteiro Maíra Coelho

Comentários

Últimas de Rio de Janeiro