Crivella e ministro da Indústria assinam acordo de sistema que reduz custos de obras públicas

Protocolo de intenções tem objetivo incentivar a adoção de um sistema de modelagem da informação da construção

Por O Dia

Crivella e ministro da Indústria, Comércio Exterior e Serviços assinam acordo para uso de sistema que reduz custos de obras públicas
Crivella e ministro da Indústria, Comércio Exterior e Serviços assinam acordo para uso de sistema que reduz custos de obras públicas -

Rio - O prefeito do Rio, Marcelo Crivella, e o ministro da Indústria, Comércio Exterior e Serviços, Marcos Jorge de Lima, assinaram, na manhã desta sexta-feira, um protocolo de intenções para incentivar a adoção de um sistema de Modelagem da Informação da Construção – intitulado oficialmente como Building Information Modelling (BIM) – nas obras de engenharia e arquitetura que forem realizadas na cidade, dentro do plano estratégico de desenvolvimento urbano integrado da Região Metropolitana.

De acordo com a prefeitura, o objetivo é a redução dos custos das obras públicas, com controle tecnológico. "A indústria da construção civil é uma das nossas esperanças de recuperação de empregos no Rio de Janeiro. Há muito a fazer na nossa infraestrutura, e, certamente, muitas vagas de trabalho serão criadas", destacou Crivella.

"A Agência de Fomento do Município tem articulado contribuições com as empresas de tecnologia e já temos os primeiros resultados dessas parcerias, como a doação de softwares pela Autodesk para as graduações de engenharia, arquitetura e outros cursos. Estamos empenhados em retomar a economia com a adoção de novas tecnologias", acrescentou o prefeito.

 

Em maio deste ano, o Governo Federal lançou, por meio do Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (MDIC), a Estratégia Nacional para Disseminação do BIM (“Estratégia BIM BR”). Os objetivos, segundo o Governo Federal, são os seguintes: reduzir custos da construção em 9,7%; aumentar a produtividade em 10%; multiplicar por 10 a adoção do BIM pela construção civil (em dez anos, a meta é que o PIB do setor seja acrescido em 28,9%).

Segundo pesquisa da Fundação Getúlio Vargas (FGV), o percentual de empresas da construção que haviam implantado BIM em suas rotinas de trabalho chegava a 9,2% no começo de 2018. Juntas, essas empresas correspondem a 5% do PIB da construção civil. A cadeia da construção inclui cerca de 215 mil estabelecimentos espalhados por todo o território brasileiro.

 

 

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia