Tropas da Forças de Segurança ocupam morros da Zona Sul. Na foto, militares na subida do morro Pavão Pavãozinho - Estefan Radovicz / Agência O Dia
Tropas da Forças de Segurança ocupam morros da Zona Sul. Na foto, militares na subida do morro Pavão PavãozinhoEstefan Radovicz / Agência O Dia
Por O Dia

Rio - Quase 4 mil homens das forças de segurança realizam, desde a manhã desta quarta-feira, operações em cinco comunidades da cidade. Agentes estão no Complexo do Lins, na Zona Norte, e nas comunidades do Pavão-Pavãozinho, Cantagalo, Babilônia e Chapéu Mangueira, no Leme e em Copacabana, na Zona Sul. Até o momento, nove suspeitos foram presos e uma pistola e munições de fuzis foram apreendidas. De acordo com o Comando Conjunto da Intervenção, que não especificou onde ocorreram as prisões e apreensões, não houve tiroteios nessas comunidades. 

Ainda de acordo com os militares, dois veículos foram recuperados; três barricadas, removidas; munição e drogas, apreendidas. Segundo o coronel Cinelli, chefe de comunicação do Comando Militar do Leste, também houve ações de patrulhamento regular nas comunidades Bateau Mouche e São José Operário, na Praça Seca, na Zona Oeste.

 

Por causa da operação, a Autoestrada Grajaú-Jacarepaguá ficou interditada nos dois sentidos por quase três horas, sendo liberada por volta das 8h50. O Centro de Operações da Prefeitura (COR) recomenda a quem precisar trafegar entre a Zona Oeste e o Centro que opte pela Linha Amarela ou o Alto da Boa Vista.

Tropas da Forças de Segurança ocupam morros da Zona Sul. Na foto, movimentação próximo à subida do morro do Chapéu Mangueira e Babilônia - Estefan Radovicz / Agência O Dia

O Comando Conjunto da Intervenção na segurança pública do Rio avisa que além da interdição de algumas vias e acessos nas regiões da operação, setores do espaço aéreo poderão ser controlados, com restrições dinâmicas para aeronaves civis.

Nas ações, a Polícia Militar verifica denúncias de ostensividade criminosa e de outras condutas ilícitas, realiza vasculhamentos e bloqueia vias de acesso na região. E a Polícia Civil cumpre mandados judiciais.

Eles e os demais agentes das operações têm apoio de blindados, aeronaves e equipamentos de engenharia.

Para o Comando Conjunto, no Complexo do Lins, além da área diretamente abrangida pela operação, também serão impactados os moradores de Engenho de Dentro, Encantado, Méier, Sampaio, Vila Isabel, Andaraí e Água Santa.

Na Zona Sul, além do Leme e Copacabana, serão afetados os bairros de Ipanema, Lagoa, Jardim Botânico, Leblon, Humaitá, Botafogo e Urca.

Considerando ambas as operações, o total de moradores impactados é estimado em 29 mil pessoas diretamente e 645 mil indiretamente.

Você pode gostar