Forças de segurança fazem operação em Campos dos Goytacazes

Mais de 800 agentes das forças de segurança participam da ação para cumprir 126 mandados de busca e apreensão em cinco comunidades do município do Norte Fluminense. Traficantes expulsaram moradores de conjuntos habitacionais

Por O Dia

Militares das Forças Armadas participaram da operação em Campos
Militares das Forças Armadas participaram da operação em Campos -

Rio - Mais de 800 agentes das forças de segurança fazem, na manhã desta quinta-feira, uma operação em cinco comunidades de Campos dos Goytacazes, no Norte Fluminense. Os militares estão no Parque Eldorado I e II, Parque Santa Rosa, Parque Santa Clara e Parque Prazeres, uma área que abrange aproximadamente 15 mil habitantes, para cumprir 126 mandados de busca e apreensão em casas populares de sete diferentes conjuntos habitacionais invadidas por criminosos. A ação conta com homens das Forças Armadas, policiais militares e civis, agentes da Polícia Rodoviária Federal (PRF), Corpo de Bombeiros e com o Ministério Público do Rio (MPRJ).

Segundo o MPRJ, as habitações foram invadidas por traficantes de drogas da região, que expulsaram os moradores para usar os locais como depósito de armas e de drogas, ponto de venda de entorpecentes e abrigo para os seus comparsas.

As casas populares, localizadas nos conjuntos habitacionais Codin, Eldorado, Novo Eldorado, Parque Aeroporto, Parque Prazeres, Parque Santa Clara e Santa Rosa, foram invadidas e seus moradores ameaçados. Segundo as investigações, quem se recusava a sair das casas eram executados.

A maioria dos moradores que teve suas casas invadidas não prestou queixa às autoridades policiais com medo de represálias, fazendo com que o Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), do MP, oficiasse a Secretaria Municipal de Desenvolvimento Humano e Social de Campos a listagem das casas invadidas, afim de que o Poder Público pudesse agir em prol das famílias prejudicadas.

 A região é dominada pelo tráfico e inúmeros homicídios e tentativas ocorreram, segundo o Ministério Público. Desde janeiro até o início de agosto foram registradas na 146ª DP (Campos) 154 vítimas de tentativas de homicídio e 120 vítimas de homicídio, todas com ligação com o tráfico de drogas.

De acordo com o Comando Conjunto da intervenção federal na segurança do Rio, as Forças Armadas atuam no isolamento e controle do perímetro externo das comunidades. A PM opera no interior, verificando denúncias de ostensividade criminosa. A Polícia Civil cumpre mandados de prisão e de busca e apreensão. E a PRF apoia no bloqueio e controle do tráfego das rodovias federais da região.

As ações envolvem também a revista de pessoas e de veículos, a checagem de antecedentes criminais e a remoção de barricadas erguidas por criminosos.

'Gatos'

Os agentes de segurança envolvidos na ação contam com o apoio de blindados e aeronaves. Funcionários da concessionária de energia elétrica local aproveitam a operação para identificar e acabar com "gatos" (furtos de energia) na região.

Algumas vias e acessos às comunidades poderão ser interditados e setores do espaço aéreo poderão ser controlados, oportunamente, com restrições para aeronaves civis. Não há interferência nas operações dos aeroportos do estado.

As tropas efetuam ainda a distribuição de folhetos impressos solicitando a colaboração da população. O informativo sugere dois canais para contato: um telefone para denúncias anônimas (21-2253-1177) e um e-mail para dúvidas, reclamações, comentários e sugestões (ouvidoria.intervencao@cml.eb.mil.br).

Últimas de Rio de Janeiro