O soldado Lopes foi enterrado nesta sexta em São João de Meriti - Estefan Radovicz / Agência O Dia
O soldado Lopes foi enterrado nesta sexta em São João de MeritiEstefan Radovicz / Agência O Dia
Por O Dia

Rio - A Polícia Civil investiga se Anderson de Souza Ribeiro, de 22 anos, está envolvido na morte do PM Paulo Vitor Barbosa Lopes, de 37. O soldado foi assassinado na noite de quarta-feira, após ser reconhecido como policial por bandidos que roubaram seu carro, em Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense. A hipótese de participação de Anderson no crime foi levantada após os agentes constatarem que um veículo roubado por ele, horas antes da morte do soldado, é do mesmo modelo (Fiat Siena) e cor do automóvel usado no latrocínio (roubo seguido de morte) do PM.

Anderson foi preso na quinta e, segundo a polícia, participou diretamente do roubo ao Siena, no bairro de Jardim Palmares. Ele foi detido por policiais da Delegacia de Homicídios da Baixada Fluminense (DHBF) em uma hospital, onde estava internado desde que foi baleado durante uma perseguição policial. 

A morte do PM

O PM era lotado no batalhão de São João de Meriti (21º BPM) e foi morto após deixar a namorada em casa e ser abordado em uma rua de Nova Iguaçu - Arquivo Pessoal

O soldado Lopes morreu no Hospital Geral de Nova Iguaçu (Posse) após ser baleado no tórax e no braço. Ele, que era lotado no 21º BPM (São João de Meriti), estava de folga e tinha acabado de deixar a namorada em casa quando foi abordado dentro de seu veículo na Rua Carlos Chagas, no bairro da Luz. O policial foi encontrado ferido por agentes do batalhão de Mesquita (20º BPM), que o socorreram. O carro dele foi achado em Jardim Palmares (onde Anderson roubou o Siena momentos antes), a cerca de 5 km de onde foi levado.

O PM foi sepultado com honras militares na manhã desta sexta na capela do Cemitério Vila Rosali, em São João de Meriti. Muito abalada, e a base de remédios, a mãe dele, Iranice Barbosa, disse que o filho largou o curso de Farmácia para virar policial. Durante o enterro, ela permaneceu o tempo inteiro abraçada ao pai do soldado. Eles foram consolados por uma das irmãs do agente.

O Disque Denúncia divulgou, horas depois do crime, que está oferecendo R$ 5 mil de recompensa por quem der informações que levem à captura dos responsáveis pelo assassinato. Quem tiver qualquer informação pode entrar em contato através dos seguintes canais: Whatsapp ou Telegram do Portal dos Procurados: (21) 98849-6099; Central de Atendimento do Disque Denúncia: (21) 2253-1177; Facebook/(inbox): www.facebook.com/procurados.org; ou pelo aplicativo "Disque Denúncia RJ".

O Disque Denúncia oferece recompensa de R$ 5 mil para ajudar na investigação do caso - Divulgação / Disque Denúncia

Você pode gostar