Justiça mantém indenização à família de Amarildo

Desembargadores negaram o pedido do Estado, que tentava reduzir o valor da indenização.

Por O Dia

Pedreiro Amarildo de Souza
Pedreiro Amarildo de Souza -

Rio - A 16ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça do Rio manteve a indenização de R$ 500 mil concedida à família do pedreiro Amarildo Dias de Souza. Os desembargadores negaram o pedido do Estado, que tentava reduzir o valor da indenização. Com a decisão, além de estarem mantidos os R$ 500 mil à esposa e aos filhos de Amarildo, também foi mantida a indenização de R$ 100 mil para cada um de seus quatro irmãos.

O pedreiro Amarildo de Souza, morador da Rocinha, desapareceu em julho de 2013, após ser conduzido para averiguação por PMS da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) da comunidade da Zona Sul. Vinte e cinco policiais foram acusados de torturar e matar Amarildo, desaparecendo em seguida com seu corpo, que nunca foi encontrado.

Destes, 13 foram condenados pela 35ª Vara Criminal do Rio de Janeiro, em fevereiro de 2016, entre os quais o major Edson Santos e o tenente Luiz Felipe Medeiros, comandante e subcomandante da UPP Rocinha na época. As condenações foram por tortura seguida de morte, ocultação de cadáver, fraude processual e corrupção de testemunha.

Galeria de Fotos

Pedreiro Amarildo de Souza Reprodução
Julgamento no TJ, do recurso de reparação dos familiares do Pedreiro Amarildo, morto por Policiais Militares em 2013. Na foto, João Tancredo Advogado de terno bege e a viúva de Amarildo,, Elizabete da Silva. Estefan Radovicz / Agência O Dia

Últimas de Rio de Janeiro