Familiares e pacientes do CRDP de Irajá querem tratamento digno - divulgação
Familiares e pacientes do CRDP de Irajá querem tratamento dignodivulgação
Por WILSON AQUINO

Rio - A Comissão da Pessoa com Deficiência da Câmara dos Vereadores discute, hoje, a dramática situação dos Centros de Referência da Pessoa com Deficiência (CRPD) de Irajá e Santa Cruz. A audiência pública começa às 14h, com presença de membros do Ministério Público, Defensoria e familiares das pessoas com deficiência afetadas pelo fechamento dos CRPDs. O Subsecretário da Pessoa com Deficiência, Geraldo Nogueira, também participa.

As duas unidades foram fechadas no começo de agosto e reabertas somente na terça-feira passada. Segundo a vereadora Luciana Novaes, presidente da Comissão, dezenas de pessoas deixaram de ser atendidas nas unidades. "É um absurdo que os CRPDs estejam fechados e as pessoas com deficiência tenham que interromper ganhos de anos de tratamento. Ainda mais depois de vermos estampados em todos os jornais que o prefeito renovou um contrato de eventos aumentando esta verba em mais de 1,5 milhão, tratando o assunto com total descaso!", reclamou a vereadora.

A prefeitura explicou que o motivo do fechamento foi um atraso na prestação de contas pela ONG Cebrac, que administra os CRDPs. Entretanto, a ideia da Comissão é apresentar fatos que comprovam a falta de atenção do executivo municipal. Segundo a comissão, o MP está apurando se há descaso e irregularidades por parte da prefeitura.

Você pode gostar
Comentários