PM é ferido após ataque no Pavão-Pavãozinho

No mesmo dia, corpos de dois policiais foram enterrados no Jardim da Saudade

Por

Família de Leonardo, morto na Zona Norte, estava inconsolável -

No dia em que os corpos dos policiais militares Leonardo Silveira Silva, de 31 anos, e de Alexsandro Ribeiro de Lima, 33, foram enterrados, PMs da UPP foram atacados a tiros ontem, no Pavão-Pavãozinho, em Copacabana. Um deles foi ferido por estilhaços quando patrulhava a comunidade.

O confronto na comunidade da Zona Sul foi na localidade Beco do Serafim. O militar ferido foi levado ao Hospital Municipal Miguel Couto, na Gávea.

Morador de Piabetá, em Magé, Alexsandro estava prestes a largar o serviço quando a viatura em que ele estava foi atacada na madrugada de segunda. No domingo, ele comemoraria o aniversário do filho mais velho, de 9 anos. "Ele era muito família, gostava de levar os filhos para patinar", disse Luiz Volochtchuk, 26 anos, sobrinho de Alexsandro, que também tinha outro filho, de 5 anos. "Ele estava num batalhão perigoso, mas nunca reclamou do trabalho", contou a amiga Maria José Benevindes, 61.

"Quem vai criar os meus filhos? Para quem eu vou ligar para saber se chegou bem?", indagou a mulher de Leonardo. "Ele foi meu guerreiro, grande pai, grande marido", completou. Leonardo completava a renda com uma pizzaria própria em Marechal Hermes. Na noite de domingo, ele foi baleado por criminosos em uma tentativa de assalto.

 

Comentários

Últimas de Rio de Janeiro