'Faço postagens do meu candidato. Se alguém comenta contra, posto um meme engraçado que diz perguntei sua opinião?, diz a aposentada Graça Maia - Armando Paiva
'Faço postagens do meu candidato. Se alguém comenta contra, posto um meme engraçado que diz perguntei sua opinião?, diz a aposentada Graça MaiaArmando Paiva
Por FRANCISCO EDSON ALVES

Rio - Às vésperas das eleições tem gente por aí desfazendo amizade e tomando, literalmente, partido em defesa de candidatos. E não é só cara a cara que a 'briga' acontece. Na internet, as redes sociais viraram um verdadeiro campo minado com discussões acirradas entre quem se declara de direita ou de esquerda. Diante de tantos radicalismos, como manter a boa convivência e preservar a amizade? O DIA ouviu especialistas e reuniu os Dez Mandamentos da Civilidade para ajudar a selar a paz.

"O primeiro passo é o respeito mútuo. Temos que usar mais a empatia e ouvir com sinceridade a opinião do outro", aconselha Márcia Modesto, psicóloga e psicanalista. Nesse campo minado, sem regras eficazes, onde as pessoas parecem ter perdido a boa conduta de comportamentos, a cidadania tem ficado comprometida. "E ameaça a civilidade", adverte o professor de estudos sociais e mestre em geopolítica global, Érique Barcellos.

Thaynna, que votará em Haddad, e André, que vai de Bolsonaro: harmonia, apesar das diferenças ideológicas - Álbum de Família

Seja em grupos de WhatsApp ou no Facebook, as trocas de farpas tomaram a dianteira de qualquer assunto. Irritada com a quantidade de vídeos e imagens políticas que lotavam seu celular, Juracy da Silva (nome fictício) saiu de um grupo de amigos de longa data. "Eram muitas propagandas eleitorais e a forma com que faziam a campanha não me agradava", explica. Os desentendimentos em família também estão aflorados e exigem compreensão mútua.

"Eu votarei em Haddad (PT) para presidente, e meu marido (o ajudante de motorista André de Moraes) em Bolsonaro (PSL). Tem horas que a gente bate boca. Minha vontade é de socá-lo e vice-versa. Mas entendemos que acima de tudo, o respeito e o amor têm que imperar", ensina a auxiliar de departamento pessoal, Thaynna de Sousa. Já a aposentada Graça Maia, 70, reage críticas com humor. "Não desfaço amizade por conta de política. Faço postagens do meu candidato. Se alguém comenta contra, posto um meme engraçado que diz: perguntei sua opinião? Tudo em clima de brincadeira".

"A intolerância faz até mesmo pessoas que nem conhecemos ainda, se tornarem inimigas virtuais", comenta Érique. Para José Maria da Silva, do Movimento pela Ética na Política (MEP), a culpa pelo "barril de pólvora" é dos políticos. "O distanciamento deles dos eleitores, gera, além de descrédito neles mesmos, tentativas de imposições de ações individuais".

Abigail Gomes, mestra em Ciências Sociais e militante nas causas de gênero e etnia, foi vítima de ataques verbais pela internet. "Diante de ânimos exaltados, o jeito é não rebater. Mas ameaças mais sérias devem ser registradas na polícia", orienta. Paulo Dalla Nora, cofundador do Poder do Voto, aplicativo que incita debates saudáveis, a maior polarização política da história fomenta negatividades. "As pessoas têm que se conscientizar que na democracia as vitórias são sempre parciais, longe de sentimentos puristas e sem concessões".

Civilidade em tempos de disputa política

A civilidade se refere às regras do convívio social diário. E nesses tempos de radicalismos políticos e ideológicos, em que ela parece estar longe das pessoas, deve ser resgatada.

Confira os Dez Mandamentos da Civilidade:

1. Respeite os outros para ser respeitado. Democracia e paciência devem prevalecer.

2. Tolere ideias contrárias e evite postagens de cabeça quente. Não somos iguais.

3. Tenha bom senso. Não envie mensagens de teor político, ofensivas à ideologia alheia.

4. Respeite os sentimentos dos outros e cuidado com as fake news.

5. Demonstre interesse sincero por outra opinião. Nunca se alegre com a desgraça do próximo.

6. Não agrida com palavras, tentando intimidar e julgar pensamentos das outras pessoas.

7. Se questionarem suas escolhas de candidatos, responda baseado em sua crença política.

8. Ter respeito às ideias contrárias, significa bons modos sociais. É a manutenção da liberdade e democracia.

9. Não use xingamentos, rotulações, acusações, escárnios, ironias, sarcasmos e ridicularização para com o outro.

10. Respeite as regras da boa educação e evite dar opiniões na internet com humor alterado.

Fontes: Especialistas em psicologia, antropologia, sociologia e ética na política

Você pode gostar
Comentários