Aplicativo dispensa o título de eleitor

O e-titulo pode ser baixado em celular ou tablet; para quem fez biometria, ele vem com foto

Por O Dia

E-título
E-título -

Rio - Nesta eleição, a tecnologia facilita a vida de quem não achou ou não quer andar com o título de eleitor na mão na hora de votar. Basta baixar, no celular ou no tablet, o aplicativo e-titulo. Mas não é bom deixar para fazer isso na última hora. É necessário o número do título. Quem não está com o documento em mãos, pode checar o número de outras formas para preencher o cadastro. Caso o eleitor não tenha feito biometria, tem que levar documento com foto.

O aplicativo está disponível para iPhone (iOS), smartphones (Android) e tablets, com informações como dados da Zona Eleitoral e a situação cadastral do eleitor em tempo real. Após baixá-lo, basta que o eleitor insira seus dados pessoais.

O aplicativo foi atualizado esta semana e, a partir de agora, também permite ao eleitor emitir a certidão de quitação eleitoral, além da certidão de crimes eleitorais.

É importante destacar a necessidade de preencher os dados pessoais exatamente como eles estão registrados no Cadastro Eleitoral, pois, na hora de preencher os dados no aplicativo, se houver preenchimento de alguma informação em discordância com aquela lançada no documento original, o sistema não validará o cadastro. Portanto, é preciso estar atento a esse importante detalhe.

Se o eleitor já tiver feito o recadastramento biométrico (cadastro das impressões digitais) junto à Justiça Eleitoral, a versão do e-título virá acompanhada da foto do eleitor, o que facilitará a identificação na hora do voto. Caso o eleitor ainda não tenha feito o recadastramento biométrico, a versão do e-título será baixada sem a foto. Nesse caso, o eleitor está obrigado a levar outro documento oficial com foto para se identificar ao mesário durante a votação.

Problemas com app

Nesta terça-feira, o aplicativo "e-Título" criado pelo Tribunal Superior Eleitoral parou de funcionar, em menos de uma semana para as eleições.

Ao inserir os dados pessoais como nome completo, número de inscrição e data de nascimento, o aplicativo apresenta o erro "Tente mais tarde" e, dessa forma, a operação é interrompida..

Procurada, a assessoria do Tribunal Superior Eleitoral informou que o problema será verificado pela área técnica da corte.

Comentários

Últimas de Rio de Janeiro