Douglas foi morto nesta quarta-feira - Divulgação / Polícia Civil
Douglas foi morto nesta quarta-feiraDivulgação / Polícia Civil
Por O Dia

Rio - Um confronto entre policiais do 35° BPM (Itaboraí) e bandidos do bairro Gebara, no município da Região Metropolitana do estado, nesta quarta-feira, resultou na morte do traficante Douglas de Melo, conhecido como Miguelinho, de 20 anos. Ele é suspeito de ter participado das mortes do subcomandante da UPP Vila Kennedy Guilherme Lopes da Cruz, de 26, em fevereiro deste ano, e da dentista Priscila Soares Nicolau dos Reis, 37, em outubro de 2016

De acordo com a Polícia Militar, o confronto desta quarta envolveu quatro criminosos do Gebara. Após os disparos, Miguelinho foi encontrado sem vida, com um fuzil 556 e 26 munições. Além da arma, os agentes também apreenderam na região 926 trouxinhas e cinco tabletes de maconha, 163 pinos de cocaína, um radiotransmissor, um celular, uma luneta de fuzil e três cadernos com anotações do tráfico local.

Miguelinho praticou o crime contra a dentista quando tinha acabado de fazer 18 anos. Na época, mesmo tendo acabado de completar a maioridade, sua ficha criminal era extensa, com apreensões por fatos análogos à associação ao tráfico e tentativa de homicídio.

Material apreendido pelo batalhão de Itaboraí após o confronto - Divulgação / Polícia Militar

Assassinatos

O tenente Guilherme da Cruz era subcomandante da UPP Vila Kennedy, em Bangu, na Zona Oeste, e foi morto durante uma tentativa de assalto no último 21 de fevereiro, quando estava no volante de seu carro em um drive-thru de uma lanchonete na Freguesia, em Jacarepaguá. Na ocasião, dois bandidos anunciaram assalto ao estabelecimento. O PM reagiu e foi atingido diversas vezes pelos criminosos. Ele chegou a ser levado ao Hospital Lourenço Jorge, na Barra, mas não resistiu aos ferimentos.

O comparsa de Miguelinho no crime foi preso dois dias depois. Ronald da Silva Coelho, Bimbinha ou Bimbão, de 18 anos, foi encontrado por policiais da Delegacia de Homicídios da Capital (DH), na comunidade em que atua: Cachoeirinha, no Complexo do Lins, Zona Norte.

O tenente Guilherme da Costa e a dentista Priscila Nicolau - Arquivo Pessoal

Já a morte da cirurgiã-dentista Priscila Nicolau aconteceu em 31 de outubro de 2016. Ela estava dentro de seu carro, no Itanhangá, na Zona Oeste, quando foi abordada por bandidos que tentaram roubar seu veículo para fugir da polícia. Ela acelerou o automóvel e foi alvo de mais de 15 disparos, sendo atingida com um tiro na cabeça e outro no braço.

Pelos menos cinco criminosos participaram do assassinato da dentista. Três deles já estão presos, quatro com Miguelinho: Wesley Andre de Souza Adriano, o Cara de Vaca, de 23 anos, Ademilson Guedes Costa, o Nota Preta, de 22, e Rafael Alves Peixoto, de 26. O foragido é outro homem que hoje tem 19 anos. 

Todos eles faziam parte de um grupo que fugia da polícia após uma tentativa frustrada de invasão ao Morro do Banco (relembre no vídeo abaixo).

Você pode gostar