Mais Lidas

Carlos Miranda pode sair da prisão nesta sexta-feira para cumprir pena em casa

Apontado como operador de Cabral ficará em regime domiciliar fechado, monitorado por tornozeleira eletrônica. Ele também vai pagar uma multa de R$ 4 milhões à Justiça

Por O Dia

Carlos Miranda, um dos operadores do ex-governador Sérgio Cabral, teve seu acordo de delação premiada com o Ministério Público (MP) homologado pelo Supremo Tribunal Federal (STF)
Carlos Miranda, um dos operadores do ex-governador Sérgio Cabral, teve seu acordo de delação premiada com o Ministério Público (MP) homologado pelo Supremo Tribunal Federal (STF) -

Rio - Apontado como operador financeiro do ex-governador Sérgio Cabral (MDB), Carlos Miranda deve deixar a prisão nesta sexta-feira. Ele vai cumprir pena em casa. Miranda está preso em Benfica, Zona Norte do Rio, desde novembro de 2016, quando foi preso na operação Calicute com o ex-governador, de quem é suspeito de ser 'braço-direito' nos esquemas de corrupção.

Miranda ficará em regime domiciliar fechado, monitorado por tornozeleira eletrônica. Ele também vai pagar uma multa de R$ 4 milhões à Justiça.

A pena de Miranda caiu de 20 para 7 anos. Ele fechou um acordo de colaboração premiada com o Ministério Público Federal em abril de 2017. O acordo foi homologado em dezembro do ano passado pelo Supremo Tribunal Federal (STF) por citar pessoas com foro privilegiado.

A delação desencadeou na operação Furna da Onça, que prendeu dez parlamentares. Destes, apenas o deputado estadual Marcelo Simão deixou a prisão.

Após cumprir dois anos de regime domiciliar, Miranda irá para o regime semiaberto por um ano e meio. Em seguida, ficará mais um ano e meio em regime aberto. 

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia