Cruzamento onde ocorreu acidente em Botafogo ganha quebra-mola e mais uma placa

Menino estava com a mãe na calçada e acabou atingido pela colisão entre van e táxi

Por O Dia

Após acidente que matou criança de dois anos, cruzamento no Humaitá ganha nova sinalização
Após acidente que matou criança de dois anos, cruzamento no Humaitá ganha nova sinalização -

Rio - O cruzamento entre as ruas Conde de Irajá e Capistrano de Abreu, em Botafogo, Zona Sul do Rio ganhou nova sinalização nesta quinta-feira. No local ocorreu acidente entre uma van e um táxi, na segunda-feira, que deixou uma criança de 2 anos morta e três pessoas feridas. Após o acidente, o local recebeu a visita do secretário da Casa Civil, Paulo Messina, que realizou uma vistoria com a presença de equipes da CET-Rio. 

Apesar de verificar que a sinalização estava adequada, a Prefeitura optou por realizar novas intervenções acima do padrão no local, optando inclusive pela instalação de um obstáculo físico, no caso, uma ondulação transversal (quebra-mola). Também foram realizadas limpezas e trocas de placas já existentes, além da instalação de pinos de borracha para coibir o estacionamento irregular. 

"Durante a vistoria, ontem à tarde, foi verificada que há, sim, sinalização adequada no local, o que, no entanto, infelizmente, não impede que os motoristas infrinjam as leis de trânsito", comentou Messina. 

De acordo com o Corpo de Bombeiros, na colisão, um dos veículos atingiu mãe e filho, que estavam na calçada. O menino Nicolas Antônio Reis chegou a ser levado para o Hospital Municipal Miguel Couto, mas já deu entrada na unidade em óbito. A mãe Susan Reis, de 43 anos, tem quadro de saúde estável.

Galeria de Fotos

Após acidente que matou criança de dois anos, cruzamento no Humaitá ganha nova sinalização Divulgação
Após acidente que matou criança de dois anos, cruzamento no Humaitá ganha nova sinalização Divulgação
Após acidente que matou criança de dois anos, cruzamento no Humaitá ganha nova sinalização Divulgação
Após acidente que matou criança de dois anos, cruzamento no Humaitá ganha nova sinalização Divulgação
Após acidente que matou criança de dois anos, cruzamento no Humaitá ganha nova sinalização Divulgação
Após acidente que matou criança de dois anos, cruzamento no Humaitá ganha nova sinalização Divulgação
Após acidente que matou criança de dois anos, cruzamento no Humaitá ganha nova sinalização Divulgação
Após acidente que matou criança de dois anos, cruzamento no Humaitá ganha nova sinalização Divulgação

A passageira do táxi Vera Lúcia Torino, de 69 anos, e o motorista Pedro Francisco, de 47 anos, também ficaram feridos, mas negaram atendimento dos Bombeiros. Taxista há sete anos, Pedro disse estar desolado. "Eu machuquei apenas a mão e a perna, mas por dentro estou arrasado. Sou pai de seis filhos e me coloco no lugar da família, ver um menino lindo se debatendo dói muito”, desabafou.

O taxista também afirmou que prestou depoimento junto ao motorista da van, e os dois foram liberados. "Ele foi liberado sem mais nem menos, isso é absurdo. A van estava totalmente errada, a preferência era minha. Mas foi muito rápido, nem sei quem de fato atingiu a mãe e a criança."

Maurício Lourenço, de 44 anos, trabalha ao lado de onde aconteceu a tragédia, no banco de sangue Hematologistas Associados, e ajudou nos primeiros socorros. “Um médico e um pediatra do banco de sangue socorreram as vítimas, mas infelizmente a criança estava muito machucada”, contou ele.

“A gente já esperava que uma hora ia ter uma tragédia, porque a todo momento tem um acidente. Trabalho aqui há quatro anos e ninguém nunca respeita o cruzamento, os carros sempre atravessam sem parar”, acrescentou.

Morador de Duque de Caxias, Adão Jorge da Costa, de 60 anos, teve a traseira do carro destruída pela van. “Eu vim para uma consulta médica, e quando voltei a van estava em cima do meu carro. Ainda bem que não presenciei a tragédia”, disse ele.

Últimas de Rio de Janeiro