Pesquisa apresenta planejamento para os municípios e regiões da cidade - Divulgação
Pesquisa apresenta planejamento para os municípios e regiões da cidadeDivulgação
Por O Dia
Publicado 20/12/2018 15:25 | Atualizado 20/12/2018 15:29

Rio - A Secretaria de Estado do Rio (TurisRio) lançou, nesta quinta-feira, no Palácio Guanabara, na Zona Sul do Rio, o Inventário da Oferta Turística (IOT) – que apresenta um planejamento para os municípios e regiões da cidade. Pesquisa de campo mapeou atrativos turísticos naturais, culturais, históricos, religiosos, infraestrutura, equipamentos e serviços do segmento.

O trabalho, que faz parte do Programa Nacional de Desenvolvimento do Turismo (PRODETUR/RJ), contempla 23 municípios das regiões turísticas prioritárias e foi coordenado pela Universidade Federal Fluminense (UFF).

Segundo Nilo Sergio Felix, secretário estadual de Turimos do Rio, o Estado nunca havia realizado um trabalho de inventariação tão amplo e completo. "O legado entregue hoje para o turismo do Estado merece ser continuado, seja mantendo a sua atualização, como, também, estendendo o trabalho aos demais municípios. O estudo será um balizamento para diversos programas públicos e privados, em função do detalhamento minucioso da oferta turística. O Inventário colabora ainda para a gestão e para as estratégias promocionais dos municípios, contribuindo para o desenvolvimento regional do trade em todo o Estado".

Investimento

"O conhecimento da oferta turística propicia a criação de roteiros temáticos e auxilia os novos investidores. Nos 23 municípios pesquisados foram registrados 5.285 equipamentos e serviços turísticos, 1.122 atrativos naturais e 2.020 culturais, além de 181 eventos programados no calendário dessas localidades. O Inventário será uma fonte de consulta para diagnosticar melhorias necessárias e apontar as potencialidades a serem trabalhadas", completou o secretário.

Pesquisa

O professor Carlos Lidízia, coordenador do IOT e do Núcleo de Projetos da Faculdade de Turismo e Hotelaria da UFF, apresentou o conteúdo técnico e disse que participaram da pesquisa 15 docentes, 175 pesquisadores e que o trabalho demorou cinco meses de pesquisa em gabinete e mais quatro em campo.

"Foi um processo extenso. Começamos pela apresentação e sensibilização do IOT aos gestores e trade dos municípios envolvidos. Em seguida foram assinados os termos de compromisso e começamos o levantamento dos dados preliminares. Esse material foi convalidado com o trade regional e, em seguida, foi iniciada a pesquisa de campo. Logo depois o material foi então sistematizado. Nas etapas finais fizemos o georreferenciamento, análises, diagnósticos e a produção dos relatórios".

A ampla pesquisa de campo, coordenada pela UFF, contou com a participação de professores e estudantes da UFF, Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (UFRRJ), Centro Federal de Educação Tecnológica Celso Suckow da Fonseca (CEFET) de Nova Friburgo, Veiga de Almeida e Fundação Centro de Ciências e Educação Superior à Distância do Estado do Rio de Janeiro (CEDERJ).

Você pode gostar