Malária pode ter sido a causa da morte de missionário no Sul Fluminense

Homem de 33 anos viajou para Moçambique; ele faleceu em Valença

Por

Rio - Um homem morreu na madrugada desta terça-feira, com suspeita de malária, no município de Valença, no Sul Fluminense. Robson Carlos Natanael, de 33 anos, era missionário e deu entrada no Hospital Escola de Valença no dia 24.

Segundo a Agência Missionária Agir, Robson não resistiu aos sintomas da malária após voltar de uma viagem de um mês para Moçambique, na África, onde teria contraído a doença. A vítima deixa filho e esposa, que também está grávida.

A Secretaria Estadual de Saúde (SES), nesta terça-feira, não havia confirmado o caso. De acordo com a pasta, a doença exige uma notificação obrigatória que ainda não foi realizada pelo município.

À Rede Globo, o médico Felipe Nunes também apontou o diagnóstico de malária.

"Foi confirmado e compatível com a data que ele foi (para África), 30 de novembro, estando no período de incubação de 8 a 25 dias, que é o tempo médio", disse.

Robson foi sepultado no Cemitério de Taboas, na cidade de Rio das Flores.

A malária não é uma doença contagiosa e é transmitida pela picada de mosquitos do gênero Anopheles infectados por protozoários. A Secretaria de Saúde informou que outros casos já aconteceram no Rio neste ano, mas todos por transmissão na África.

Comentários

Últimas de Rio de Janeiro