Sindicato dos Motoristas quer representante para acompanhar julgamento de infrações

Ofício é baseado na determinação que garante e assegura a participação dos trabalhadores no colegiado de órgãos públicos em que seus interesses profissionais ou previdenciários sejam objetos de discussão e deliberação

Por O Dia

Rio - O presidente do Sindicato dos Motoristas e Cobradores de Ônibus do Rio (Sintraturb Rio), Sebastião José, encaminhou, nesta quarta-feira, um ofício para a Prefeitura do Rio e Secretaria Municipal de Transportes pedindo que seja incluído imediatamente um representante da categoria na mesa que julga as infrações de trânsito das 24 juntas Administrativas de Recursos de Infrações (Jaris).

O ofício é baseado na determinação que garante e assegura a participação dos trabalhadores no colegiado de órgãos públicos em que seus interesses profissionais ou previdenciários sejam objetos de discussão e deliberação.

Segundo o presidente do sindicato, a categoria tem total interesse profissional em acompanhar os julgamentos de recursos de infrações de trânsito. "O sustento das famílias desses profissionais dependem da pontuação existente em sua Carteira Nacional de Habilitação (CNH) e, por isso, é muito importante que esses pareceres sejam dados com total imparcialidade", disse.

Sebastião lembra ainda que a maioria dos recursos impetrados pelo sindicado nas Jaris diz respeito aos motoristas do BRT, que procuram diariamente a entidade para comunicarem o recebimento de multas nos corredores expressos. Segundo ele, além de terem que recorrer da infração, os motoristas tem o valor da multa descontados de seus contracheques pelas empresas.

"Um ônibus do BRT tem 37 metros e pesa cerca de 30 toneladas vazio e 65 toneladas cheio, o tamanho de um vagão de trem. Quando o sinal passa de amarelo para vermelho a uma distância de 100 metros é impossível que o motorista consiga parar imediatamente, o que poderia causar um acidente grave; prova disto é que a maioria das multas são de fotos das placas traseiras dos veículos", finalizou Sebatião José.

 

Últimas de Rio de Janeiro