Roubo de cabos impede vistoria no Detran

Taxistas passaram o dia na fila esperando a normalização do sistema em posto

Por Antonio Augusto Puga

Proprietários de veículos devem ficar atentos aos prazos
Proprietários de veículos devem ficar atentos aos prazos -

Rio - O furto de cabos da empresa de telefonia Oi, que atende o posto de vistoria na Avenida Francisco Bicalho do Detran, na Região Central, prejudicou nesta terça-feira, dezenas de taxistas que passaram o dia tentando obter o Certificado de Registro de Veículo (CRV). Sem sistema, a unidade só efetuou entrega de carteira de habilitação e de identidade. No fim da tarde, no entanto, o serviço de vistoria voltou a funcionar.

A fila começou cedo já que os taxistas não precisam fazer o agendamento, pois têm atendimento prioritário. Fabiano Tavares, 38 anos, chegou por volta das 5h40. "Cheguei essa hora justamente para ser um dos primeiros e poder trabalhar com a documentação em dia, mas hoje foi um dia perdido e de prejuízo porque deixei de ganhar em torno de R$ 250".

"Não bastasse toda essa confusão do pagamento da Guia de Recolhimento de Taxas (GRT), ainda tenho que ficar horas em uma fila sem saber quando serei atendido. Só vou sair daqui com o documento", comentou o motorista Charles Pereira.

Segundo o Detran, o problema só ocorreu no posto da Francisco Bicalho, que ficou sem transmitir dados e todos os serviços online foram afetados, incluindo vistoria, habilitação e parte das tarefas de identificação civil. Os motoristas que tinham agendado vistoria podem voltar em até cinco dias para fazerem a vistoria anual.

Motoristas têm dúvidas

No Detran, muitos motoristas ainda tinham dúvidas sobre o pagamento da Guia de Recolhimento de Taxas (GRT). Inicialmente divulgada com o valor de R$ 202,55, o imposto foi reduzido a R$ 144,68 na segunda-feira, após o Detran acatar uma liminar judicial, que derrubou a íntegra da taxa e colocou fim à autodeclaração dos veículos pelos motoristas. Apesar de ter acatado, o governo anunciou que vai recorrer da decisão.

A partir de 4 de fevereiro, o Bradesco vai disponibilizar o boleto com o valor reajustado referente ao licenciamento. O motorista que já pagou o total de R$ 202,55 deve aguardar todos os trâmites judiciais para pedir reembolso da quantia paga em excesso.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia

Comentários