Operação cumpre 71 mandados contra traficantes que atuam na Região dos Lagos

"Conexão Búzios" cumpre 71 mandados na cidade e em São Pedro da Aldeia. Eles são acusados de diversos crimes, como tráfico ilícito de drogas, extorsão, lesão corporal, porte ilegal de armas, homicídio e lavagem de dinheiro

Por O Dia

Parte da apreensão feita durante a operação
Parte da apreensão feita durante a operação "Conexão Búzios" -

Rio - A Secretaria de Polícia Civil e o  Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MPRJ) realizam nesta quinta-feira, junto com a Coordenadoria de Segurança e Inteligência (CSI/MPRJ), a Operação Conexão Búzios. O objetivo é cumprir, tanto em Búzios quanto em São Pedro da Aldeia, 71 mandados, entre prisão preventiva e busca e apreensão, contra criminosos de duas facções criminosas que atuam em quatro cidades da Região dos Lagos, além da capital do estado.

A operação, com base na denúncia do Grupo de Atuação Especial no Combate ao Crime Organizado, aponta 60 integrantes da facção Comando Vermelho e 11 de organização ligada ao Terceiro Comando. Eles são acusados de diversos crimes, tais como tráfico ilícito de drogas, extorsão, lesão corporal, porte ilegal de armas, homicídio e lavagem de dinheiro.

A partir das investigações realizadas por meio de interceptações telefônicas autorizadas pela Justiça, foi possível identificar que, entre janeiro de 2018 até janeiro deste ano, os 71 denunciados praticaram os crimes na capital fluminense e nas cidades de Araruama, São Pedro da Aldeia, Cabo Frio e Armação de Búzios – em especial em comunidades carentes dessas localidades, tais como "Colina" (em São Pedro da Aldeia), "Cem Braças", "Capão", "José Gonçalves", "São José", "Vila Verde/Cruzeiro", "Alto da Rasa", "Maria Joaquina" (Búzios), "Favela do Lixo" e "Boca do Mato" (em Cabo Frio).

"Os denunciados praticaram o delito de tráfico ilícito de entorpecentes mediante utilização de armas de fogo e de intimidação dos moradores das comunidades de baixa renda da região, que eram dominadas territorialmente pela organização criminosa pela violência e intimidação constantes, consistentes em represálias contra quem se insurgisse contra o domínio", diz um trecho de uma das denúncias apresentadas pelo MP.

Serviço de Internet do tráfico

O Ministério Público ainda revela que traficantes ligados ao CV mantinham sociedade com uma empresa que distribuía Internet de forma irregular em São Pedro da Aldeia. De acordo com o MP, a "Estilo Net Telecom Internet LTDA ME" tinha entre os sócios pessoas ligadas ao tráfico de drogas. Empresas que prestavam o serviço de forma legal foram impedidas de trabalhar  na região e moradores eram intimidados a contratar o "plano" do tráfico.

O MP a suspensão da atividade econômica e financeira da Estilo Net Telecom Internet. "Com sócios ligados ao tráfico de drogas, a empresa explora o serviço de forma irregular e mediante graves ameaças aos moradores, alimentando o comércio de entorpecentes nas comunidades controladas pela facção criminosa", diz o órgão na denúncia.

Na denúncia do MPRJ identifica os líderes do CV como Sidnei José Rodrigues Junior (vulgo ‘Neném’); Samuel Henrique Terra. Na outra denúncia, foram denunciados 60 integrantes da organização ligada ao Terceiro Comando, na qual se destacam os líderes Gilberto Coelho de Oliveira (vulgo ‘Gil do Dendê’); Ruberval Barcelos Mendonça (‘Vaval’); e Valdinei Quintanilha de Souza (‘Dinho’).

Comentários