Família se despede de jovem morto no Ninho do Urubu; ele faria 15 anos neste sábado

Centenas de pessoas, entre familiares e amigos, lotaram o Cemitério Portal da Saudade, em Volta Redonda, no Sul Fluminense, onde foi enterrado Arthur Viniciu. Na despedida, hino do Flamengo e 'parabéns para você' foram tocados

Por FRANCISCO EDSON ALVES

Capela onde é velado o corpo de Arthur Vinícius ficou lotada
Capela onde é velado o corpo de Arthur Vinícius ficou lotada -

Rio - Pelo menos 800 pessoas acompanharam agora há pouco, no Cemitério Portal da Saudade, em Volta Redonda, no Sul Fluminense, o cortejo de sepultamento dos restos mortais do jogador Arthur Vinicius, que completaria 15 anos neste sábado. Arthur é um dos 10 jogadores da equipe de base do Flamengo, que morreram carbonizados num incêndio no Centro de Treinamento (CT) Ninho do Urubu, em Vargem Grande, na madrugada desta sexta-feira, quanto outras três pessoas também ficaram feridas. Na despedida, hino do Flamengo e 'parabéns para você' foram tocados.

“Quero agradecer o carinho e a solidariedade de todos. E dizer que Arthur morreu fazendo o que mais gostava. Isso nos consola. A vocês, pais, façam tudo pelos seus filhos, como eu fiz pelo Arthur”, afirmou Marília de Barros Silva, mãe do menino, pouco antes de o caixão, coberto com a camisa e a bandeira do Flamengo, baixar á sepultura.

A família, que é de Volta Redonda. Inconsoláveis, parente estão amparados por amigos. Em julho do ano passado, Arthur comemorava sua primeira convocação para a seleção brasileira sub-15. "Estamos todos arrasados, sem acreditar nisso tudo até agora", lamentou Fernando Pereira, de 14 anos, uma das dezenas de crianças que aguardam o enterro vestidas com a camisa do Flamengo. Abalados, parentes não conseguem falar com repórteres.

Depois do enterro, enquanto abraçava e tentava consolar amigos do filho, Marília de Barros Silva, desabafou: "Chorei demais quando deixei meu filho sozinho numa cidade grande e perigosa. Mas era o sonho da vida dele e, por isso, respeitei", falou.

Arthur, sobrinho do ex-jogador do Voltaço, o meia Andinho, já tinha uma infância marcada pelo sofrimento. Aos 4 anos, viu o pai, Edmar Pereira de Freitas, o Funeca, ser morto na sua frente, segundo testemunhas, num assalto. O assassino teria mandado a vítima colocar Arthur, que estava em seu colo, no chão e logo em seguida, alvejado com vários tiros.

O governador Wilson Witzel esteve no velório, ao lado do prefeito de Volta Redonda, Samuca Silva. Mais cedo, ambos homenagearam Arthur Vinícius, dando nome do atleta à arena esportiva inaugurada no bairro Voldac.

Capela onde é velado o corpo de Arthur Vinícius ficou lotada - André Aquino / Tribuna Sul Fluminense

Na casa de Arthur, no bairro Volta Grande 1, na periferia da cidade, moradores fizeram uma vigília desde sexta-feira, quando souberam da tragédia. Em entrevista à TV Rio Sul, a mãe do zagueiro, Marília de Barros Silva, disse que o único conforto dos familiares é saber que o adolescente morreu fazendo o que mais govava. "Ele tava muito feliz lá. Era o sonho dele mesmo. Ele fazia realmente o que ele gostava. Ele esteve de férias, jogou bola todos os dias", afirmou Marília.

Primo de zagueiro do Vasco é enterrado em Minas

Na cidade de Oliveira, em Minas Gerais, foi enterrado Pablo Henrique da Silva Matos, de 14 anos, O velório, previsto para as 14h, acabou atrasando em duas horas e começou por volta das 16h, quando o corpo chegou do Rio de Janeiro ao município. O jovem era primo do zagueiro Werley, do Vasco.

A cerimônia durou cerca de uma hora e meia, com o enterro sendo realizado quase às 18h. "É muito triste, ninguém esperava isso. Recebemos a notícia com tristeza", disse João Ricardo da Silva, avó do jovem, em entrevista ao MGTV, da TV Globo. "A gente nem queria acordar. Parecia um pesadelo, ninguém acredita", completou Alex da Silva Miranda, primo. Amigos da cidade fizeram uma homenagem ao jovem. 

Galeria de Fotos

Capela onde é velado o corpo de Arthur Vinícius ficou lotada André Aquino / Tribuna Sul Fluminense
Capela onde é velado o corpo de Arthur Vinícius ficou lotada André Aquino / Tribuna Sul Fluminense

Comentários