Supermercado que pegou fogo e matou duas pessoas não tinha alvará, diz prefeitura

Campeão diz que as atividades estão de acordo com a lei

Por O Dia

Incêndio atingiu mercado no Jacaré
Incêndio atingiu mercado no Jacaré -

Rio - Após o incêndio que matou duas pessoas no supermercado Campeão, no Jacaré, na Zona Norte, na segunda-feira, a Secretaria Municipal de Fazenda informou que o estabelecimento não possui alvará para atividade de supermercado, mas sim para mercearia e açougue.

Segundo a pasta, o comércio foi multado nesta terça-feira por funcionamento em desacordo com a atividade e deve buscar regularização junto à Prefeitura. Procurado pelo DIA, o Campeão nega que as atividades exercidas no local estão de acordo com o alvará de funcionamento.

Nesta terça-feira, familiares de José Moura da Silva e Natalino Jesus estiveram no Instituto Médico Legal (IML), no Centro, para tentar fazer a identificação dos corpos que foram retirados do estabelecimento. A identidade só será reconhecida por meio de exame de DNA, que demora cerca de seis meses para ficar pronto, ou pela arcada dentária, já que eles estavam carbonizados.

Sem contar com o apoio de representantes do mercado, segundo os filhos das vítimas, eles tentam a liberação dos corpos o mais rápido possível. Lucas Moura da Silva, 33, filho do encarregado do açougue José Moura Silva, 72 anos, estava com dificuldade de identificar o pai.

"A informação do pessoal do IML é que o corpo dele está carbonizado e a identificação só pode ser feita pela arcada dentária ou um exame de DNA, que levaria cerca de seis meses para obter o resultado. Nenhum representante do supermercado esteve aqui para me orientar. Vou procurar o pessoal do setor de Recursos Humanos (RH), para tentar uma solução", comentou.

De acordo com a Polícia Civil, a 25ª DP (Engenho Novo) instaurou um inquérito policial para apurar as responsabilidades do incêndio. Ela confirmou os dois óbitos e que os os corpos foram encaminhados para o IML. Uma perícia foi realizada no local e eles aguardam o resultado do laudo.

Comentários