Postos do Detran fecham após terceirizados entrarem em greve

Órgão anunciou a suspensão da aplicação de multas como nos casos de Transferência de Propriedade

Por LUIZ PORTILHO

O posto da Barra da Tijuca está atendendo apenas para casos especiais
O posto da Barra da Tijuca está atendendo apenas para casos especiais -

Rio - O motorista do Rio que precisa do Detran enfrenta dificuldades em oito postos da capital. Isso porque alguns funcionários terceirizados entraram em greve, devido ao não pagamento de direitos trabalhistas por parte das empresas.

Nesta terça-feira, os postos de Angra dos Reis, Francisco Bicalho, Belford Roxo, Ceasa, Santa Cruz, Vila Isabel e São Pedro da Aldeia não abriram as portas, segundo o próprio órgão. Já na Barra e no Catete o atendimento é feito apenas para serviços emergenciais de atividades remuneradas, 1ª Licença (carro zero km), troca de placa e troca de lacre.

Diante disso, o Detran suspendeu a aplicação de multas administrativas de competência, como nos casos de Transferência de Propriedade, cujo prazo limite é de 30 dias. O órgão explica que herdou pendências da administração anterior, que deixou 18 empresas prestadoras de serviços sem cobertura contratual.

De acordo com a comunicação do Sindicato dos Empregados de Empresas de Asseio e Conservação do Município do Rio de Janeiro (Siemaco-Rio), que representa a categoria, a paralisação é por causa do atraso no pagamento do vale-alimentação, do vale-transporte e dos salários de janeiro. O sindicato informou, ainda, que a paralisação só acabará quando a dívida estiver quitada.