Operação vazou e teve de ser antecipada

Operação foi antecipada em um dia

Por GUSTAVO RIBEIRO

A deflagração da Operação Lume estava prevista para hoje, mas as autoridades decidiram antecipá-la porque rumores apontaram para um vazamento da ação e acreditavam que os acusados poderiam fugir. Segundo o Ministério Público, o próprio Ronnie Lessa, ao ser preso, reconheceu informalmente que havia sido avisado. O MPRJ vai investigar quem teria vazado as informações.

Os dois foram presos por volta das 4h30 saindo de suas casas. De acordo com a promotora Simone Sibílio, Lessa foi pego com três celulares em modo avião, uma forma de evitar o rastreamento.

Outro indício indica que o PM reformado sabia da operação: dentro seu carro havia uma mochila com roupas e ele não demonstrou surpresa ao ser preso. "Deixamos uma viatura perto do condomínio, iríamos entrar às 6h para fazer a busca e apreensão. Ele saiu antes. No carro, tinha uma mochila com roupas", afirmou um agente da DH. "Nós falamos: você está preso pelo assassinato da vereadora Marielle. Ele reagiu de forma calma, nada surpreso. Somente respondeu: vocês estão errados, vou provar minha inocência", contou.

A dupla vinha sendo monitorada para não fugir. Compadres e amigos de tempo, eles passaram o Carnaval juntos em uma casa de luxo em Angra dos Reis e andaram de lancha.

Comentários

Últimas de Rio de Janeiro