Suspeito de participar da morte de PM é preso

Segundo agentes, homem informou a executores local onde cabo estaria

Por O Dia, O Dia

Jovem é suspeito de participar da morte de cabo PM
Jovem é suspeito de participar da morte de cabo PM -

Rio - Policiais da Delegacia de Homicídios da Baixada Fluminense (DHBF) prenderam, nesta terça-feira, Ítalo Peixoto Queiroz, 20 anos, suspeito de participar da morte do cabo PM Francisco Fernandes de Souza, 38, em 23 de janeiro deste ano, em Belford Roxo, na Baixada Fluminense.

A investigação da DHBF revelou que Ítalo foi o responsável por informar aos executores que o PM estaria no local onde foi baleado. Após diversas buscas por seu paradeiro, o rapaz se apresentou à delegacia.

Francisco teria sido assassinado por ter repreendido usuários de drogas que ficavam usando entorpecentes na área em que ele morava, incluindo sua rua, a Emília Marcondes, no bairro Lote XV. Segundo informações, ele levou pelo menos 11 tiros no peito.

O local do crime é um dos acessos ao Complexo do Roseiral dominado pelo Comando Vermelho e os traficantes teriam instalado na região uma estica (ponto de venda de drogas), o que teria desagradado a vítima. O policial foi morto perto de casa voltando de um aniversário. Os criminosos chegaram ao local avisando que 'não era pra ninguém correr, só queriam ele (PM)'.

O cabo estava de folga e foi abordado por três bandidos, um deles estava de bicicleta com o rosto coberto por uma camisa branca. O bandido pediu os documentos e a arma do policial, que não estava com ela. Ao confirmar a identidade do PM - o documento foi jogado em cima de uma mesa -, bandido avisou ao comparsas 'é ele'.

Os assassinos, então, desembarcaram da moto, ambos atiraram no PM e fugiram. O condutor da moto era negro e usava uma pistola preta, já o garupa, mais claro e tinha uma pistola cromada.

O PM era lotado no Batalhão de Policiamento em Vias Especiais (BPVE). O militar foi levado para o Posto de Saúde Mista do Lote XV, mas não resistiu aos ferimentos. A PM lamentou a morte do cabo Souza, o quarto PM morto esse ano.

Comentários